0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 14/01/2020 18:10

A vacina pentavalente estará disponível para imunização das crianças de 2, 4 e 6 meses de vida, em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Porto Nacional, a partir desta quarta-feira, 15, das 8 às 17 horas. A informação é da Secretaria de Saúde de Porto Nacional. Foram disponibilizadas 450 doses. As vacinas também estarão acessíveis nas unidades de saúde dos Distritos de Luzimangues, Nova Pinheirópolis (todas as quintas-feiras – dia fixo de vacinação) e Escola Brasil (duas quintas-feiras por mês – dias fixos de vacinação). 

A distribuição das vacinas nos municípios é de competência das Secretarias de Saúde dos Estados. Os pais que não conseguiram vacinar seus filhos devem procurar as salas de vacinação e já imunizarem suas crianças o quanto antes.

A pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais. A vacina garante a proteção contra a Difteria, Tétano, Coqueluche, Hepatite B e também contra a bactéria Haemophilus Influenza tipo B, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta. 

Doses reduzidas

Em dezembro do ano passado, a Secretaria Municipal da Saúde de Porto Nacional informou, por meio de nota, que a quantidade de doses de algumas vacinas estavam reduzidas, dentre elas a pentavalente, insuficiente para atender a demanda da população. As UBSs enfrentaram dificuldades com a ausência de soros e imunobiológicos, ficando a comunidade sem a cobertura vacinal. 

O Ministério da Saúde (MS) comunicou que não foi possível realizar o envio, pois a carga de vacinas que chegou ao Brasil, à época, estava aguardando parecer da OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde, para posterior liberação da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. A última remessa enviada pelo Ministério tinha sido em outubro, onde foram destinadas seis mil doses para o Tocantins.

A remessa da vacina pentavalente, adquirida por intermédio da OPAS, foi reprovada em testes de qualidade feitos pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e análise do Ministério da Saúde. Por este motivo, as compras com o antigo fornecedor, a indiana Biologicals E. Limited, foram interrompidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que pré-qualifica os laboratórios.

O MS informou que solicitou a reposição do fornecimento da vacina à OPAS, mas, na ocasião, não havia disponibilidade imediata da pentavalente no mundo, já que não é fabricada no Brasil. Uma nova aquisição de 6,6 milhões de doses foi feita, e as vacinas começaram a chegar, de forma escalonada, no Brasil.

Post Anterior

Associação de Veículos de Comunicação do Tocantins divulga carta aberta

Próximo Post

Operação “Trânsito Seguro” intensifica fiscalização com blitzen e bloqueios no perímetro urbano de Gurupi

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *