0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 06/05/2022 20:31

Em dois ofícios divulgados na noite desta sexta-feira (6) pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Edson Fachin diz que a a Corte Eleitoral não se opõe a divulgar documentos como pediu o Ministério da Defesa. No entanto, Fachin diz que parte dessa documentação está em sigilo por ordem do próprio Ministério da Defesa.

Ministério da Defesa lançou ofício nesta semana para pedir a divulgação de todas informações do TSE com o ministério.

Fachin pediu que o ministério da Defesa esclareça qual é o status que esses documentos devem responder. Segundo apuração , ele quer saber se eles permanecem em sigilo, como estão, a pedido do ministério ou se podem ser divulgados.

A partir da comissão de Trasparência e Fiscalização, o TSE recebe documentos de todos os outros orgãos, incluindo da Defesa, e o próximo passo é a documentação passar por uma triagem e ser analisada por uma equipe técnica para ver se existem elementos que fazem sentido.

Ofício da Defesa

O objetivo do documento enviado da Defesa ao TSE é abrir todas as sugestões que foram feitas no âmbito do Comitê de Transparência Eleitoral, colegiado do TSE que debate medidas para aperfeiçoar o sistema eleitoral.

Com a eventual abertura dos dados, as forças pretendem tornar públicas todas as sugestões que foram feitas por elas e como o TSE se posicionou em relação a elas.

No dia 25 de abril, foi divulgado o “Plano de Ação para a Ampliação da Transparência do Processo Eleitoral”, no qual constavam as sugestões de todos os participantes do comitê.

Post Anterior

Preço médio da gasolina chega a R$ 7,29 e bate recorde histórico, aponta ANP

Próximo Post

Após falas de Bolsonaro, Conselho da Petrobras faz reunião emergencial