0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 13/07/2022 10:22

O ex-presidente americano Donald Trump teria procurado pessoalmente funcionários do alto escalão do governo para persuadi-los a apreender máquinas de votação com o objetivo de reverter o resultado da eleição de 2020, vencida por Joe Biden. As informações foram divulgadas durante a sétima audiência pública conduzida pelo comitê que investiga a invasão ao Capitólio, e a primeira depois do recesso do Congresso.

William Barr, que atuou como secretário de Justiça no governo do republicano, afirmou em depoimento gravado que negou pedido do republicano para que usasse o Departamento de Justiça a fim de apreender as máquinas.

Além da tentativa de usar o aparato estatal em benefício próprio, o comitê entendeu que Trump planejou o tumulto no Capitólio, fazendo parecer que a invasão tivesse sido espontânea.

Segundo documentos obtidos dos Arquivos Nacionais, o ex-presidente revisou um tuíte que dizia “Farei um grande discurso às 10h do dia 6 de janeiro no Ellipse [sul da Casa Branca]. Por favor, chegue cedo, multidões enormes esperadas. Marcha para o Capitólio depois. Parem o roubo!!”.

A mensagem nunca foi enviada, mas, segundo o comitê, deixa claro que Trump esperava que houvesse uma marcha até o Congresso no dia 6 de janeiro do ano passado.

Parlamentares voltaram a acusar o republicano de ser responsável por incitar a multidão no episódio de violência e pediram punições. “O presidente Trump é um homem de 76 anos. Ele não é uma criança. Ele é responsável por suas próprias ações e suas próprias escolhas”, disse a deputada republicana Liz Cheney, vice-presidente do comitê.

Um tuíte publicado por Trump antes do episódio foi destacado. Na mensagem, ele convocou apoiadores a irem para Washington. “Esteja lá… será selvagem”, escreveu o ex-presidente.

Quando a audiência terminou, Cheney disse que Trump tentou ligar para uma testemunha em potencial do comitê, sugerindo que o ex-presidente tenha tentado influenciar ilegalmente o processo de investigação. O ex-presidente nega irregularidades e diz ser vítima de uma “caça às bruxas”.

Post Anterior

Deputado do PP se reúne com Lula para fechar palanque em MT.

Próximo Post

PF abre investigação para apurar falhas no painel de votação da Câmara

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.