0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 30/07/2020 17:04

O Brasil é um grande consumidor de trigo mas não produz tudo que precisa. Pelo contrário.

A Conab estima que nesta safra o país produza 5,2 milhões de toneladas e importe 7,2 milhões de toneladas. Essa janela abre mercado e oportunidade para o cultivo de trigo no Cerrado.

A região vive uma expansão na triticultura e o cultivo já é pesquisado há anos, com desenvolvimento de cultivares irrigadas, tanto no inverno quanto em segunda safra, na sucessão com soja.

A região do Cerrado tem o recordista nacional de trigo, com média de 139,8 sacas por hectare.

Comporta as condições ideais para a expansão do cereal: produtores qualifcados e preparados, clima favorável não suscetível à micotoxinas e doenças como a Giberela presente nas lavouras do Sul, genética disponível em cultivares adaptadas para a região, alta estabilidade e potencial de glúten.

O pesquisador da Embrapa Cerrados, Julio Albrecht, defende que há capacidade de aumentar a área atual de 200 mil hectares para 2 milhões de hectares. O Cerrado produz um dos melhores trigos com qualidade industrial para panificação e conseguimos fazer duas safras, uma de sequeiro e outra irrigada, com média de 6 toneladas por hectare, chegando até 8 toneladas por hectare.

Além disso o trigo do Cerrado chega na entressafra, já que o trigo do Sul chega em outubro e o argentino em dezembro.

Para o produtor é ótimo na rotação de cultura, porque ele precisa de uma gramínea e manter ativa sua estrutura de pivôs.

O Cerrado tem muito a oferecer para a auto-suficiência de trigo no Brasil. Fonte: Agrolink/Embrapa      

Post Anterior

Antonio Andrade cobra liberação de emenda para aquisição de UTI móvel para Porto nacional

Próximo Post

Exame prevê diagnóstico de Alzheimer, com custo mais barato

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *