0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 27/11/2020 16:00

Os sistemas digitais do TRF-1 (Tribunal Regional Federal da 1ª Região) foram alvos de ataque hacker na manhã desta sexta-feira, 27.

De acordo com os invasores, foram obtidas mais de 40 bases de dados como forma de demonstrar a “vulnerabilidade” na segurança do Tribunal. Ao meio-dia desta sexta feira (27), o site da Corte estava fora do ar.

O TRF-1, que julga casos do Distrito Federal e de 13 Estados, abriga o maior número de processos judiciais do Brasil.

Foto: Divulgação.

Após o ataque, os invasores divulgaram em 1 site usado para expor vazamentos os nomes de arquivos que estariam nas bases de dados do TRF-1 acessadas.

Eles publicaram a imagem de 1 diabo formada por caracteres para comemorar o sucesso da ação. A íntegra dos arquivos capturados não foi disponibilizada.

De acordo com o TRF-1, “todos os sistemas do tribunal foram colocados em modo restrito para permitir a adequada investigação”.

Em nota, a assessoria da Corte afirma que, “até o momento [11h37], não se identificou nenhum ativo de TI [tecnologia da informação] comprometido”.

Eis a íntegra:

“A Administração do TRF-1, por meio da Secin (Secretaria de Tecnologia da Informação) informa que, em decorrência de publicação veiculada em redes sociais de que ocorrera uma invasão ao ambiente tecnológico do TRF-1, foram adotadas medidas preventivas para a preservação do ambiente. Assim, todos os sistemas do Tribunal foram colocados em modo restrito para permitir a adequada investigação, sendo que, até o momento, não se identificou nenhum ativo de TI comprometido.”

A invasão hacker aos sistemas do TRF-1 ocorre no mesmo mês em que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) teve a rede invadida e precisou interromper os julgamentos por 15 dias. O episódio levou o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a adotar medidas que, segundo o ministro Luís Roberto Barroso, impactaram nos processos do 1º turno das eleições municipais, incluindo o funcionamento do aplicativo e-Título.

Post Anterior

Black Friday: de onde vem esse nome e outras 9 curiosidades sobre a data

Próximo Post

Governador em exercício conduz última audiência pública do projeto Justiça Cidadã