0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 25/07/2022 15:01

A Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), por meio do Programa de Estímulo a Divulgação de Dados de Qualidade de Água (QUALIÁGUA), concluiu a segunda etapa do monitoramento de 2022 dos principais rios do Estado e as amostras coletadas apontaram resultados entre  ótimo e bom. O Boletim de Qualidade de Água com os dados coletados já está disponível para consulta no site da Semarh www.to.gov.br/semarh..

O levantamento dos dados de qualidade de água é realizado trimestralmente. Desde que aderiu ao programa da Agência Nacional de Águas (ANA), em fevereiro de 2017, a Semarh monitora e divulga os dados referentes à qualidade das águas dos principais rios do estado, a fim de fornecer à sociedade e aos órgãos gestores informações qualitativas sobre os recursos hídricos.

O monitoramento é resultado das amostras recolhidas com a sonda multiparâmetro, equipamento utilizado para analisar instantaneamente os seguintes parâmetros físicos e químicos da água: temperatura, oxigênio dissolvido, turbidez, condutividade específica, PH e profundidade da coleta. A coleta em campo é feita em 65 pontos localizados em 26 bacias hidrográficas que cortam todas as regiões do estado, abrangendo 50 municípios.

A partir deste mês de julho, o trabalho de monitoramento ganha força chegando a 80 pontos de coleta, o máximo estabelecido pela ANA. Segundo o diretor de Planejamento e Gestão de Recursos Hídricos da Semarh, Aldo Azevedo, além da divulgação do boletim com todos os parâmetros analisados, a Semarh desenvolveu um sistema que trouxe mais transparência e compreensão dos dados obtidos. “Criamos o sistema de Índice de Qualidade de Água [IQA] que possui uma legenda com cores de alerta que mostra se a água em determinada bacia está ótima, boa, ruim ou péssima, garantindo que qualquer pessoa compreenda os dados coletados”, explica o diretor.

“Por exemplo se em um trimestre os dados divulgados de uma determinada bacia registrarem que a água está com a qualidade boa e no outro calcular um resultado de qualidade ruim é um alerta que nos levará a descobrir a origem da mudança, identificar como está sendo o uso e ocupação desta bacia e, assim, traçar políticas públicas para melhorar a qualidade dessa água”, explicou o diretor, acrescentando ainda que o Tocantins tem obtido ótimos resultados de gerenciamento dos recursos hídricos com o trabalho de monitoramento.   

Somado ao Boletim de Hidrometeorologia, que traz diariamente ao público informações geradas pelas Plataformas de Coleta de Dados (PCD’s) instaladas em diversos pontos do estado desde novembro de 2016, o Boletim de Qualidade de Água cumpre os objetivos desse sistema, que incluem reunir, tratar e divulgar informações sobre a situação qualitativa e quantitativa dos recursos hídricos; e atualizar permanentemente as informações sobre disponibilidade e demanda de recursos hídricos em todo o território do Tocantins.

QUALIÁGUA

Criada em 2013 pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) a Rede Nacional de Monitoramento da Qualidade da Água (RNQA) propõe a padronização dos dados coletados dos procedimentos de coleta e da análise laboratorial dos parâmetros qualitativos para que seja possível comparar as informações obtidas nas diferentes unidades da Federação.

Todos os dados obtidos pela RNQA serão armazenados no Sistema de Informações Hidrológicas (HidroWeb) da ANA e serão integrados e divulgados por meio do Sistema Nacional de Informação sobre Recursos Hídricos (SNIRH)

O programa, de adesão voluntária, tem como objetivo a contribuição efetiva na gestão sistêmica dos recursos hídricos. A ANA recompensa os estados de acordo com as metas atingidas relacionadas ao monitoramento e à divulgação dos dados, respeitando as premissas previstas.

Post Anterior

Projeto Vem Verão define campeões da etapa de Araguacema

Próximo Post

Luxemburgo destaca importância de atrair investimentos para a temporada de praia do Tocantins

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.