0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 18/10/2018 16:28

A Agência de Defesa Agropecuária (Adapec) finaliza nesta sexta-feira, 19, o monitoramento sorológico que está sendo realizado em 172 granjas, distribuídas em 50 municípios tocantinenses. Em todo o Estado, são 40.855 propriedades que contêm granjas e criatórios de subsistência, com um total de 295.674 suínos.

Este trabalho é realizado a cada seis meses em granjas comerciais de suínos cadastradas. De acordo com a Adapec, os profissionais envolvidos estão intensificando a vigilância ativa e as ações, inclusive, nas áreas consideradas de maior risco. “Iniciamos os trabalhos no início do mês de outubro, aplicando questionários e realizando a colheita de amostras de sangue de um reprodutor (matriz ou cachaço) por granja, que posteriormente serão encaminhadas ao laboratório”, explica a responsável técnica pelo Programa Estadual de Sanidade de Suídeos da Adapec, Regina Barbosa.

A febre suína ou cólera dos porcos, é uma enfermidade contagiosa causada por vírus e muitas vezes fatal aos suínos. Os principais sintomas são: depressão e febre alta, hemorragias, regiões avermelhadas, entre outras.

O Tocantins é livre internacionalmente da Peste Suína Clássica-PSC, (enfermidade que acomete suídeos). “É um trabalho muito importante, uma vez que a carne suína tem crescido e os mercados consumidores estão cada vez mais exigentes”, avalia o presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha. 

O criador de suídeos, ao identificar qualquer suspeita da doença, deve comunicar imediatamente a Adapec. Outra orientação é não trazer suínos e seus produtos de outros estados não livres da PSC.

Post Anterior

"De graça": SENAI abre inscrições para diversos cursos profissionalizantes

Próximo Post

Fuga no Barra da Grota: quatro detentos são recapturados no Maranhão