0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 15/03/2022 19:52

A sexta turma do Superior Tribunal de Justiça negou um pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO) para retomar a investigação contra supostos desvios de dinheiro da Associação Filhos do Pai Eterno, quando o padre Robson de Oliveira (foto) era presidente da entidade.

O padre Robson de Oliveira foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás por organização criminosa, apropriação indébita, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro doado por fiéis à Associação. De acordo com o órgão, o prejuízo à associação chegaria a mais de R$ 100 milhões. A denúncia é decorrente da Operação Vendilhões.

“Não é necessário o julgador enfrentar todos os precedentes citados pela parte recorrente, ainda mais o que se verifica é a inadmissibilidade recursal”, disse o ministro.

Como mostramos, em áudio obtido pelo Jornal da Record, o padre Robson admite que participa de um esquema para burlar contratos e que sabia do risco de ser preso pela polícia.

Post Anterior

PL chega a 63 parlamentares e atinge a maior bancada da Câmara

Próximo Post

Governador Wanderlei Barbosa autoriza segunda etapa do Programa de Fortalecimento da Economia e Geração de Empregos que destinará R$ 75,6 milhões a 43 municípios