0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 16/03/2022 07:23

Por unanimidade, o plenário virtual do Supremo Tribunal Federal invalidou normas estaduais que autorizavam porte de arma aos procuradores dos estados.

A relatora, ministra Cármen Lúcia, lembrou que os casos em análise integram um grupo de ações em que o procurador-geral da República, Augusto Aras, questionou legislação de vários estados. 

De acordo com a ministra, “o STF já decidiu que pela competência privativa da União para autorizar e fiscalizar a produção de armas”. 

Aras questionou no Supremo leis de 11 estados que tratam da organização de suas Procuradorias-Gerais ou Advocacias-Gerais e instituem, entre as prerrogativas funcionais do procurador de estado, o direito ao porte de arma de fogo. 

Post Anterior

Relator do PL das Fake News no Senado acredita que proposta será aprovada antes das eleições

Próximo Post

Pesquisa Quaest/Genial: Lula tem 45% e Bolsonaro, 25%; Ciro tem 7% e Moro, 6%