0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 18/07/2022 10:19

Em desabafo a aliados, Paulo Skaf (Republicanos) tem dito que se sente traído por Jair Bolsonaro (PL) em sua candidatura ao Senado por São Paulo.

 O ex-presidente da Fiesp tem destacado que foi um apoiador leal nos últimos anos, foi nomeado para o Conselho da República, trocou de partido para disputar a eleição na base do presidente e agora raramente é mencionado em público por ele.

Skaf tem dito que Bolsonaro nunca esqueceu que ele se aproximou de Márcio França (PSB) e Geraldo Alckmin (PSB) no final de 2021 -os três chegaram a fazer aparições públicas juntos, em indicação de que poderiam compor uma chapa.
Esses interlocutores de Skaf dizem acreditar que o empresário pode desistir da candidatura.

Até José Luiz Datena (PSC) abandonar a candidatura, Bolsonaro vinha exaltando o apresentador como seu nome para o Senado em São Paulo. Recentemente, o ex-ministro Marcos Pontes passou a ser cogitado, em mais um sinal de desprestígio para Skaf.

O ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato ao Governo de São Paulo, tem dito que Skaf é um bom nome, mas que ainda não há definição sobre quem comporá sua chapa e que há alternativas sendo estudadas.

O empresário também tem expressado descontentamento com Josué Gomes, seu sucessor na Fiesp. Ele avalia que a instituição poderia dar mais apoio ao seu projeto eleitoral e se queixa de que pessoas de sua confiança foram tiradas de postos-chave nos quais ele as tinha colocado e hoje têm pouca influência.

Post Anterior

Amazônia perdeu 18 árvores por segundo em 2021, e desmate subiu 20% no país

Próximo Post

Lula insiste com emedebistas, mas partido não deve rifar Tebet.

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.