Home»Destaque»Seguem ações pontuais para evitar mais mortes por afogamentos no TO; Perfis variam de crianças sem responsáveis à pessoas com problemas mentais

Seguem ações pontuais para evitar mais mortes por afogamentos no TO; Perfis variam de crianças sem responsáveis à pessoas com problemas mentais

Atualizada em: 01/08/2018 17:40

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O Corpo de Bombeiros do Tocantins divulgou no começo da semana o balanço das operações durante temporada de praias no Tocantins, como o Portal Orla Notícias noticiou nesta terça-feira, 31.

Segundo a corporação, foram 34.512 ocorrências atendidas entre 1º e 31 de julho. Dados da corporação e do Instituto Médico Legal apontam que oito afogamento com óbitos foram registrados nesse período, número abaixo que em 2017, 10 mortes.

No primeiro semestre deste ano já foram 28 óbitos notificados em decorrência de afogamentos nos rios e lagos tocantinenses. Esse número pode superar os 60 casos catalogados em 2017. A previsão de mais casos se dá pelo período de estiagem, que deve se estender até meados de outubro.

Água nos pulmões

Segundo Capitão Antônio Luiz Soares da Silva, coordenador do Sistema Integrado de Operações (SIOP), os perfis de vítimas de afogamentos são variados.

  1. Crianças que vão tomar banho sem o acompanhamento de um responsável;
  2. Competições aquáticas como travessias e saltos de elevações (pontes, barrancos, arvores);
  3. Pessoas alcoolizadas que adentram a água para nadar;
  4. Pessoas que consumiram alimento de difícil digestão que adentraram a água para nadar;
  5. Pessoas com problemas mentais ou cardíacos que adentraram a água para nadar;
  6. Pessoas que foram tentar salvar outra pessoa que estava se afogando, adentraram a água sem a devida técnica e se tornaram mais uma vítima;
  7. Pessoas que estavam trafegando em embarcações sem utilizar o colete salva-vidas.

Recomendações

 O coordenador do SIOP faz alguns alertas para que sejam evitadas mortes em lagos, rios e córregos do Tocantins.

Confira aqui:

 

Ações pós-temporada

 De acordo com o Capitão Antônio, as praias do Caju e do Prata, em Palmas (TO), continuam com atendimento dos guarda-vidas militares. Já nas praias do Segredo, em Miracema, a 78 km da capital, o serviço de guarda-vidas civis permanecem porque a temporada de praia se estende até o começo das chuvas.

Post Anterior

Nutricionista alerta para riscos à saúde de dietas 'milagrosas' - Veja como emagrecer comendo bem

Próximo Post

Vídeo registra momento da prisão de grupo suspeito de traficar drogas na Arse 24