Home»Destaque»Reajuste de 25%: Relatora pede mais tempo para se inteirar sobre o caso

Reajuste de 25%: Relatora pede mais tempo para se inteirar sobre o caso

A Desembargadora Ângela Prudente justificou que a ADI ainda está pendente no STF.

Atualizada em: 01/02/2018 21:37

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nesta quinta-feira, 1, o Mandado de Segurança impetrado pelo Sindicato dos Servidores Públicos do Estado do Tocantins (SISEPE-TO), cobrando o reajuste de 25% sobre os vencimentos dos servidores públicos do Estado, estava na pauta do dia do Tribunal de Justiça do Tocantins, mas foi retirado pela Relatora, a Desembargadora Ângela Prudente. Ela justificou a atitude por uma questão de Ordem, já que a ADI, Ação Direta de Inconstitucionalidade, ainda está pendente. “A Procuradoria-Geral do Estado informou, na quinta-feira, 31, que há pendência no julgamento da ADI, existem os embargos declaratórios com pedido de liminar, de concessão de  efeitos suspensivos, efeitos infringentes, enviados pelo Estado do Tocantins, por isso estou retirando da pauta”, explicou a Relatora. 

Muitos servidores, juntamente com representantes do sindicato, aguardavam ansiosos pelo julgamento desta questão. O Sindicato e demais servidores demonstraram frustração por mais este adiamento, considerando que o caso se arrasta há 10 anos. 

Sem recursos

De acordo com Geferson Barros, Secretário de Administração, o Estado não tem condições de arcar financeiramente com esse reajuste, “hoje já fazemos um esforço extra para cumprir com o pagamento do 13º dos servidores no mês do aniversário, um aumento médio de 10% na folha”, afirmou ele.

Confira o link do TJ em que a Desembargadora justifica a retirada.

Post Anterior

Farmacêutico acusado de ser o mandante do assassinato de advogado é ouvido em audiência

Próximo Post

MPE e OAB pedem Júri Popular para os acusados do assassinato de advogado