0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 27/09/2021 17:32

A venda de sêmen da raça brangus cresceu 57% no 1º semestre de 2021, em comparação ao mesmo período do ano passado, atrás apenas de nelore e angus, como mostra o Index Asbia, elaborado pela Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia).

Segundo o gerente de Produto Corte Europeu da CRV, Delmiro Rodrigues, a performance da raça Brangus está em sintonia com o momento da pecuária brasileira hoje. “Hoje Brangus se posiciona como a principal raça sintética no Brasil e ainda tem muito espaço para crescer. Isso se deve à sua impressionante adaptabilidade, excelente desempenho de ganho de peso e qualidade de carcaça, características fundamentais para o sucesso nos diferente biomas e sistemas de produção de um país tão grande como o Brasil”, detalha.

Foto: Divulgação.

Características como a alta adaptabilidade em diferentes biomas e sistemas de produção, combinados ao seu desempenho em ganho de peso e qualidade de carcaça, explicam o bom momento da raça brangus.

O presidente da Associação Brasileira de Brangus (ABB) e um dos diretores da Fazenda Anamélia – Brangus HP, Ladislau Lancsarics Junior, explica que animais brangus estão presentes em todos os biomas do Brasil porque reúnem o melhor do angus, que é a qualidade da carne e a habilidade materna, e do zebu, que é a rusticidade.

Post Anterior

Bolsonaro está mais próximo de se filiar ao PP; diz Ciro Nogueira

Próximo Post

Administração debate com representantes sindicais direitos dos servidores