0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 02/08/2022 14:22

presidente Jair Bolsonaro (PL) criticou nesta terça-feira (2) os signatários da carta em defesa do sistema eleitoral brasileiro e da democracia. “Esse pessoal que assina esse manifesto é ‘cara de pau’, sem caráter. Não vou falar outros adjetivos, porque sou uma pessoa bastante educada”, afirmou Bolsonaro, em entrevista à Rádio Guaíba, do Rio Grande do Sul.

carta, gestada na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, ultrapassou a marca de 640 mil adesões em menos de uma semana no ar. O documento será lido em 11 de agosto e, sem fazer nenhuma menção ao presidente da República, afirma que o Brasil está “passando por momento de imenso perigo” para a normalidade democrática, com riscos às instituições e insinuações de desacato ao resultado das eleições.

Entre os signatários estão banqueiros, empresários, intelectuais e advogados. O documento contou também com a assinatura de ministros eméritos do Supremo Tribunal Federal e de docentes de diversas universidades do país, como USP, UFMG, UFRJ e UFPB.

A carta chega em meio às críticas feitas por Bolsonaro ao sistema eleitoral e às urnas eletrônicas. Recentemente, o presidente convocou embaixadores estrangeiros para levantar suspeitas contra o modelo adotado, sem apresentar provas, o que provocou reações em diversos segmentos da sociedade.

Para o diretor da Faculdade de Direito da USP, professor Celso Fernandes Campilongo, a democracia está em ameaça e é preciso que os atores do processo eleitoral depositem confiança na democracia.

“A democracia não é uma preferência pessoal. É um valor constitucional. Toda nossa ordem jurídica é calcada na democracia. Não existe espaço para qualquer posição política ou ideológica antidemocrática no nosso sistema constitucional”, disse Campilongo.

Reação

Para se contrapor à carta em defesa da democracia, o Movimento de Advogados de Direita Brasil lançou um manifesto em apoio ao presidente. Segundo o site da organização, mais de 700 mil pessoas já assinaram o documento.  Na entrevista à Rádio Guaíba, Bolsonaro agradeceu aos autores da iniciativa.

“Nós, o povo brasileiro, na defesa do Brasil e do direito às liberdades do povo, pelo povo e para o povo, e em apoio ao presidente do Brasil Jair Messias Bolsonaro nos dirigimos à nação brasileira, para declarar que sem liberdade não há democracia, sem justiça não há liberdade, sem honra não há respeito, sem dever não há ordem e progresso, sem piedade não há amor e humildade, e sem esperança iremos sucumbir”, diz trecho do documento.

Post Anterior

Corinthians x Flamengo abre quartas da Copa Libertadores nesta terça

Próximo Post

Estádio da final da Copa do Mundo ganha data de inauguração

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.