0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 31/05/2022 18:45

Desde desta segunda feira ( 30 ) , que os professores da rede municipal do ensino de Araguaína, entraram em paralização e estão acampados em frente ao gabinete do prefeito Wagner Rodrigues, eles cobram do prefeito o pagamento do Piso Nacional do Magistério .

A presidente do Sintet Regional de Araguaína, Rosy França,  vem contestando as informações divulgadas pela prefeitura de Araguaína, ela apontou que o saldo financeira da educação municipal é mais de R$ 40 milhões, cuja os dados foram fornecidos pelo Conselho Municipal do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básicae de Valorização dos Profissionais da Educação ( FUNDEB) de Araguaína.

Durante o dia desta segunda feira professores manifestaram pelas ruas da cidade e desde ontem não há aulas nas escolas.

Gritos de Ordem foram ouvidos pelas ruas de Araguaína.

” Nós merecemos, prefeito, o nosso piso.  Nós merecemos que o senhor cumpra nosso PCCR. Prefeito, nós exigimos que o senhor cumpra nosso PCCR, que é o reajuste do pis, que é lei federa. E o senhor tem recursos suficiente da educação e não dá o reajuste” . Protestou a sindicalista

Nota da Prefeitura.

A prefeitura de Araguaína informou que o pagamento de 33,23% para os professores, exigidos pelo Sintet, e de acordo com o PCCR ( Plano de Cargo e Carreira e Remuneração ) da categoria , eleva os gastos com a folha de pagamento para mais de 60% do orçamento municipal.

O que proibido pela Lei de responsabilidade Fiscal. O permitido é 54%, Justificou .  

Vídeos e fotos estão circulando com as manifestações que ocorreram nos dias de ontem e hoje nas ruas de Araguaína. 

 

Post Anterior

Simples Nacional: Receita prorroga prazo de adesão ao Relp

Próximo Post

Amantes de café podem ter menor risco de morte prematura, diz estudo

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.