Home»Agronegócio»Produção de mel no Tocantins deve manter o mesmo patamar de crescimento dos últimos dois anos

Produção de mel no Tocantins deve manter o mesmo patamar de crescimento dos últimos dois anos

Um alimento indispensável no café da manhã principalmente nas grandes redes de hotelarias

Atualizada em: 05/12/2017 10:02

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Ao se pensar em mel, ou sistemas apícolas no Tocantins, é possível avaliar o quanto essa atividade vem crescendo se comparando aos últimos 20 anos de produção, em que o setor evoluiu mais de 10 vezes.   

Muitos aspectos devem ser considerados para o sucesso dos sistemas de produção apícola, os quais contam com tecnologias de produção, capazes de triplicar a produção de mel. Como vem ocorrendo no sertão do cerrado, quando os produtores utilizaram a tecnologia de verticalização de colmeias, permitindo o aumento do número de ninhos e melgueiras, mesmo após longo período de estiagem.

Foto: Joatan Silva

Em plena colheita da safra os apicultores do Tocantins estão otimistas. A expectativa é de aumento na produção de mel em 10% com relação ao ano passado. Mesmo não tendo o número oficial da produção do ano passado, divulgado pela Federação Tocantinense de Apicultura (Fetoapi), o setor já está comemorando, com base na abundante oferta de alimentos, garantida pelo vigor da florada das árvores, tais como ipê, sucupira, pequi, assa-peixe.

A mesma opinião é sustentada pela médica veterinária e diretora de Políticas para a pecuária da secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro), Erika Jardim, segundo ela, o aumento também é resultado das capacitações assistências técnicas e atividades realizados pela Câmera Setorial da Apicultura, que tem como objetivo fortalecer a cadeia do mel. 

Um dos tripés da apicultura é uma boa alimentação e esta florada é fundamental, porque é de onde as abelhas retiram o pólen e o néctar para a produção do mel, explica a veterinária. “A expectativa é crescer 10% na produção total que atualmente é um pouco mais de 99 toneladas ao ano”, afirma Erika Jardim.    

Por fim, a organização dos empresários quanto ao selo de orgânico que deve ser visto com importância, diante da visibilidade de maior valor agregado ao produto e maior possibilidade de novos mercados, além de permitir que o produto possa ser considerado como orgânico frente aos parâmetros nacionais.

Foto: Joatan Silva

 

Ação governamental sobre o atual panorama

Com objetivo de apoiar a criação de abelhas e produção de mel no Tocantins, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agricultura e da Pecuária (Seagro), realiza nesta terça-feira, 05, uma palestra para debater sobre o atual panorama e as perspectivas para a apicultura no Tocantins.

O evento é uma realização do Grupo de Pesquisas Biologia, Manejo e Conservação de Abelhas e  acontece a partir das 19h, no Auditório do bloco C do Campus Universitário de Palmas (UFT).

A diretora de Políticas para a Pecuária da Seagro, Érika Jardim ministrará a Palestra Panorama atual e perspectivas da Apicultura Tocantinense.  “A importância de conhecer os números na produção os permite planejar e elaborar políticas públicas que solucionem os gargalos na busca da gestão eficiente das atividades rurais”, afirma Érika Jardim.

Erika Jardim informa que a palestra será trasmitida ao vivo, via intenet, por teleconferência. Os interessados podem ter acesso no endereço:https://www.facebook.com/uftbeetech/

Números da apicultura no Tocantins

Atualmente no Tocantins são: 1.500 apicultores, 53 associações, duas cooperativas e uma federação. Em 2016, a produção de mel foi de: 99.313 Kg e o valor da produção R$ 17.160,00.

Post Anterior

Campanha de vacinação contra febre aftosa segue até o dia 10 de dezembro

Próximo Post

Bandidos explodem caixa eletrônico da UFT nesta madrugada