0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 29/05/2020 15:27

A prefeita de Palmas, Cinthia Ribeiro, anunciou na manhã desta sexta-feira, 29, o Plano Estratégico de Reabertura Econômica de forma gradual e com protocolos específicos de segurança para cada  setor do comércio e serviços na cidade de Palmas. 

A partir de 08 de junho, a fase ‘A’ do programa prevê a abertura do comércio varejista, concessionárias, lojas de departamento, praças e parques, respeitando os protocolos, higienização local, disponibilidade de dispensers para álcool em gel, uso de máscaras e o distanciamento mínimo de 1,5 metros.

Para o dia 15 de junho, a fase ‘B’ compreende a reabertura dos shoppings, com exceção dos entretenimentos, como cinema e praça de alimentação, que ainda não tem previsão de reabertura, por requerer um protocolo ainda mais rigoroso; abertura de restaurantes, academias, escolas de natação e esportes.

As datas foram estabelecidas com embasamento técnico de estudos realizados pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (COE Palmas Covid-19), amparado pelo cenário epidemiológico da Capital. “E estamos dando esse prazo, para que as empresas tomem as   medidas sanitárias e possam treinar suas equipes para esse novo formato de atendimento. Mas se observarmos que esse movimento possa comprometer os nossos leitos e  respiradores, poderemos recuar e apresentar uma nova data”, completou  a prefeita.

Protocolos de segurança

Sobre os protocolos específicos já estabelecidos para cada setor, a gestora explicou que é uma forma de dividir responsabilidade entre o poder público, empresas e representações de classe.

Um termo de responsabilidade deverá ser assinado por cada estabelecimento, se comprometendo a cumprir as recomendações dos protocolos e da Vigilância Sanitária do Município,  e deverá estar visivelmente fixado no local o compromisso firmado para sua reabertura. Em caso de descumprimento, o estabelecimento poderá ser fechado pela Vigilância Sanitária. E as representações de classe ficarão responsáveis por fazer capacitação com cada seus empresários.

 Reordenamento de horário

Dentro do plano de tentativa de volta à nova realidade, da forma mais normal possível, Cinthia Ribeiro foi enfática que os estabelecimentos agora vão precisar trabalhar de forma escalonada, não podendo mais funcionar de 8 às 18 horas, para não impactar no transporte público, provocando assim aglomerações.

Transporte público

E para a retomada de outros setores do comércio, o secretário  de Segurança e Mobilidade Urbana (Sesmu), Durval Ribeiro, disse que a fiscalização será redobrada e caso os agentes de trânsito e transporte verifiquem que precise colocar mais veículos para circular, a empresa será acionada imediatamente e para que sejam disponibilizados mais coletivos.

Cenário epidemiológico 

Para o secretário Municipal de Saúde, Daniel Borini, o cenário epidemiológico da Covid-19 em Palmas não está controlado, mas sob controle. A continuidade disso vai depender da atitude das sociedade e dos empresários nessa fase de retomada de outros setores do comércio.

Em sua apresentação, o gestor mostrou a evolução do número de casos, que aponta uma redução da velocidade de transmissão do vírus em Palmas, provocada principalmente pelas medidas adotadas até o momento. “Hoje os números de recuperados são maiores que os casos que estão em acompanhamento e podem ainda agravar. Hoje temos nossas UPAs preparadas, para caso haja uma superlotação dos hospitais, termos como assistir os paciente. Lembrando que não é competência das UPAs, mas como vimos em outras cidades, aqui estaríamos preparados”.

Segundo o relatório apresentado, nas  UPAs têm alas exclusivas para portadores do novo coronavírus, sendo que que na UPA Norte tem 12 leitos e seis respiradores, e na UPA Sul nove leitos e seis respiradores. Palmas conta com 18 leitos de UTI na rede pública e 16 na rede privada. “Ontem não tínhamos nenhum paciente ocupado esses leitos, hoje temos um”, ressalta o secretário. 

Quanto aos leitos clínicos, sejam eles nos hospitais públicos ou privados, o município de Palmas conta com 20 públicos e 25 leitores clínicos privados, exclusivos a pacientes da Covid-19. A baixa no número de ocupação hospitalar em Palmas foi outro fator para que o município pudesse flexibilizar ainda mais o comércio. “Em Palmas, a ocupação nunca passou de 35% , quer seja de leitos clínicos, quer seja de UTI”, complementou o secretário.

 Plano de retomada

Segundo a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Emprego, Mila Jaber, a retomada do crescimento econômico foi feito com base em algumas fases: Na fase vermelha, com maior contaminação, foi feito apenas a  liberação para serviços essenciais; na fase laranja, ainda em abril foi feita eventuais liberações, como alguns serviços. Hoje, Palmas está na fase amarela com flexibilização já de vários comércios o que representa quase 75% já abertos.

“Para o mês de junho vamos dar um passo na fase azul que é a abertura parcial, como a abertura do comércio varejista, shopping, academias. Para a fase verde, quando a doença tiver mais controlada, teremos a abertura das demais atividades” completou a secretária. Sobre as demais atividades, o município ainda não estipulou data para a reabertura.

Segundo o relatório apresentado pela secretária, Palmas conta com 37 mil empresas. Atualmente 74,93%  já estão abertas e 25,07 % são as que estão proibidas de funcionar, e dentro desse percentual também estão bares e restaurantes que estão funcionando parcialmente.

Fase A – a partir de 08 de junho

Abertura do comércio varejista, concessionárias, lojas de departamento, parque e praças.

Fase B – a partir de 15 de junho

Abertura de shopping, restaurantes, academia, escolas de natação e esportivas.

Post Anterior

Tocantins contabiliza 3.611 casos confirmados da Covid-19

Próximo Post

Logística integrada e exportação foram temas discutidos na Agrotins 2020 100% Digital