0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 09/10/2019 14:31

A Associação Tocantinense de Municípios (ATM) mobilizou prefeitos e prefeitas a estarem presentes em Brasília nesta última terça-feira, 08, para participarem de reuniões que discutiram os percentuais de distribuição da Cessão Onerosa e o direcionamento de Emenda Parlamentar de Bancada para a aquisição de recursos e veículos aos Municípios tocantinenses.

A matéria relacionada à Cessão Onerosa está em tramitação na Câmara dos Deputados após ser discutida no Senado Federal no final de agosto e início de setembro. Contudo, nos últimos dias fontes do Palácio Alvorada revelaram eventual interesse do Governo em alterar a divisão dos recursos. A ideia do governo é retirar percentual de Estados e Municípios o direcioná-los para emendas parlamentares.

Cessão Onerosa

Em 2010, a Petrobras e a União fecharam um acordo denominado “Cessão Onerosa”, que permitirá à estatal explorar cinco bilhões de barris de petróleo em campos do pré-sal, sem licitação. Por outro lado, a empresa deve pagar  R$ 74,8 bilhões os cofres da União, montante que deverá ser distribuído entre União, Estados, Municípios e Estados produtores.

Inclusive, há estimativas do Governo Federal que apontam que essa exploração poderá ser um pouco maior e render seis bilhões de barris, com faturamento previsto para R$ 106 bilhões. Um megaleilão desse lote está previsto para ocorrer dia 06 de novembro deste ano, data já aprovada pela Câmara e Senado.

Com base na previsão desse faturamento, R$ 33 bilhões deverão ser destinados à Petrobras; R$ 48,9 bilhões à União; R$ 10,95 bilhões a Estados; R$ 10,95 bilhões a Municípios; e R$ 2,19 bilhões a Estados produtores.

Percentuais

O anúncio do Governo em reduzir os percentuais de distribuição dos recursos da Cessão Onerosa aos Municípios preocupou os prefeitos. “Os 10,95 bilhões previstos aos Municípios correspondem a 15% do faturamento previsto com a exploração. Ao tentar direcionar os percentuais para emendas parlamentares, o Governo reduz o percentual dos Municípioss para 10%, o que representa uma diminuição de 33% dos recursos inicialmente previstos para divisão justa entre todas as cidades”, explica o presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano.

Alcolumbre

O presidente da ATM, que também é vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), se reuniu com os demais presidentes das entidades municipalistas dos Estados, com o presidente da CNM, Glademir Aroldi, bem como o presidente do Senado Federal, o senador Davi Alcolumbre (AP), na manhã desta terça-feira. No encontro, os municipalistas pediram apoio do parlamentar para manter os critérios que já foram aprovados no Senado Federal.

Segundo a CNM, o presidente do Senado, por sua vez, concordou com os municipalistas e defendeu que a matéria seja mantida da mesma forma quando for votada na Câmara a fim de garantir celeridade. “O presidente Davi está trabalhando muito para que os 15% dos Municípios se mantenham, assim como o critério pelo FPM”, disse o presidente da Confederação, Glademir Aroldi, ao destacar que mais de 400 prefeitos de todo o Brasil estavam em Brasília em mobilização junto aos parlamentares.

Essa também é uma luta dos prefeitos, que o critério de distribuição da Cessão Onerosa seja feita via Fundo de Participação dos Municípios (FPM), o que amplia a capacidade dos Municípios em aplicar esses recursos em diversas áreas de interesse das populações locais.

Maia

Em seguida, os Municipalistas se reuniram com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (RJ). No encontro, o deputado prometeu que a matéria da Cessão Onerosa entra na pauta do plenário nessa quarta-feira, 09. Além disso, Maia garantiu que serão mantidos os percentuais de 15% aos Municípios e os critérios do FPM.

Emenda Parlamentar de Bancada

Já no período da tarde, os prefeitos do Tocantins se reuniram com o coordenador da Bancada Federal de Tocantins em Brasília, deputado Federal Carlos Gaguim, e demais deputados federais para discutirem juntos a destinação de Emendas Parlamentares de Bancadas para o exercício de 2020, que devem ser indicadas na Lei Orçamentária Anual (LOA) e no Plano Plurianual (PPA).

A ATM protocolou ofício com o Gaguim no qual pede que parte da Emenda de Bancada seja direcionada aos Municípios para a aquisição de vans de passageiros para as redes Municipais de Saúde, dois ônibus escolares para cada Município, bem como a destinação de recursos aos Fundos Municipais de Saúde, para o custeio de produtos e serviços nessa área.

“Os pequenos Municípios tocantinenses, que correspondem a cerca de 80% dos Municípios do Tocantins, sofrem com a escassez de recursos e vivem basicamente do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), sem possibilidades de investimentos, o que dificulta a construção de obras e a aquisição de máquinas e veículos. As Emendas de Bancada podem suprir essa necessidade de investimentos dos Municípios”, finaliza Jairo Mariano. 

Post Anterior

Agentes penitenciários reivindicam estatuto próprio em audiência pública na Assembleia Legislativa

Próximo Post

Ataque de abelhas deixa cinco feridos em Araguaína

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *