0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 06/06/2018 07:56

Eram tempos em que eu trabalhava na redação de uma TV e somente jornalistas poderiam compreender o que significa a verdadeira rotina dentro de uma televisão. Na maioria das vezes não sobrava tempo nem mesmo para pensamentos remotos, e em meio à toda essa correria e loucura, ouvi alguém dizer que estava indo embora dali. Era uma mulher de rosto conhecido pelos telespectadores, com uma carreira brilhante e um profissionalismo impecável. Nesse currículo também incluía um marido e uma filha, a quem ela se dedicava em tempo integral.

Ela avisou que estava se despedindo da TV, da cidade, do estado, do país. Ela estava partindo para um lugar distante que era um sonho não só dela, mas um sonho conjunto. E assim ela partiu para seu destino com toda a sua bagagem e expectativa. Deixou toda uma vida “certa” para tentar o “duvidoso”, mas afinal, quem tem poder para dizer o que é certo e o que é duvidoso?

Há alguns meses, ela fez uma longa viagem que passava por vários estados, inclusive pela rota 66, e lá estava ela, colecionando experiências. Parece que o destino atual é a Califórnia, decisão que ela e o marido tomaram durante uma conversa pelo WhatsApp, enquanto estavam em cômodos diferentes da mesma casa, como ela descreveu com tanto entusiasmo em uma rede social.

Não sei o que é felicidade para as pessoas, mas pra mim é essa coragem de largar tudo em busca do invisível, levando apenas um desejo de aproveitar o que o percurso proporcionar. Aquele frio na barriga de não saber o que te espera deveria ser o combustível da vida, e confesso que mesmo sabendo o que me faria feliz, ainda me faltam respostas e sobram questionamentos. Explicando de forma metafórica: estou aqui de malas prontas decidindo meu próximo destino.  

A única certeza neste momento é que, depois que ela partiu nessa aventura, seu sorriso é diferente, é vivo, é escancarado, assim como o sorriso de seus dois parceiros com quem ela sempre divide lugar no carro, nas fotos e na vida. Nem a conheço tanto para estar contando assim de sua vida com tanta propriedade, mesmo assim já me sinto no direito de ter uma admiração profunda por sua coragem de ir em busca de sua felicidade, que provavelmente nem seja a felicidade de outras pessoas que conheço, mas é a dela, e ela foi até lá buscar!  

Imagino quantas perguntas ela deve ter feito antes de deixar o mundo que havia construído ao longo de anos, para construir um novo em cima de tantas dúvidas e riscos. Seja lá quais sejam seus sonhos, acredito que ela esteja recebendo toda recompensa por ter enfrentado o desconhecido. Mérito mais do que merecido por ter feito valer aqueles 20 segundos de coragem!

E que depois desse grande ato, tenhamos coragem para abandonar a cidade e se mudar para o meio do mato em busca de paz espiritual, ou deixar o interior sem muito dinheiro e ir tentar a vida em São Paulo, e quem sabe encontrar paz espiritual por lá, não importa o destino se encontrarmos o nosso lar. Independente de qual seja a mudança, que exista a coragem de largar o certo, e quem sabe, descobrir que o duvidoso era o que sempre esteve aqui, e o certo, aquele que nos aguardava através de um simples ato de insanidade.

Post Anterior

Orla TV: " Não podemos estar de braços cruzados esperando a dificuldade passar", diz presidente da Acipa, Fabiano do Vale, sobre comércio

Próximo Post

''Membros da família'': pets entram no clima da copa do mundo