0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 19/07/2022 12:50

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (19/07/2022) a “Operação Voo de Ícaro” com o objetivo de apurar possíveis crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro praticados por empresários, agentes públicos e agentes políticos no Estado do Tocantins.

Cerca de 26 (vinte e seis) policiais federais cumprem 06 (seis) mandados de busca e apreensão nas cidades de Goiânia/GO e Palmas/TO, todos expedidos pela 4ª Vara Federal Criminal do Tocantins.

Além do cumprimento dos referidos mandados, foi determinado pelo Poder Judiciário o sequestro e a indisponibilidade de bens dos investigados até o limite do suposto dano ocasionado (R$ 13.780.681,70).

O inquérito apura a suspeita de que determinado ex-agente político estaria ocultando bens e valores de origem ilícita em nome de terceiros, através, dentre outras formas, da aquisição/construção de imóvel de alto padrão em condomínio de luxo em Goiânia-GO.

As diligências deflagradas visam identificar todas as pessoas que participaram das supostas ações criminosas, colher mais elementos probatórios para a comprovação dos fatos e recuperação dos recursos. 

Os investigados poderão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas que somadas podem chegar a 18 anos de reclusão, além da perda de bens e valores suficientes para a reparação do dano decorrente da infração penal. 

O nome Operação Voo de Ícaro (personagem da mitologia grega que voou muito próximo do sol e suas asas derreteram) remete à forma como as ações dos investigados, ostentando com os valores desviados, contribuíram para identificar os indícios dos crimes investigados nesta operação.

Post Anterior

Pesquisa aponta que voucher de R$ 1 mil é alívio para 66,3% dos caminhoneiros

Próximo Post

TSE rebate Bolsonaro e general e diz que analisou sugestões de militares

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.