0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 18/07/2022 08:58

A Secretaria Especial de Comunicação (Secom) do governo Bolsonaro ignorou uma investigação do TCU e fechou um contrato de R$ 450 milhões em uma licitação que estava sob apuração por suspeita de favorecimento à empresa vencedora, diz a Folha de S. Paulo.

O relator do caso na Corte, ministro Weder de Oliveira, havia pedido a suspensão da licitação em que a Calia/Y2 Propaganda e Marketing teve as melhores notas para realizar serviços de publicidade sobre ações do Planalto. Segundo o jornal, a medida havia sido tomada em 15 de junho, para que indícios de irregularidades fossem investigados pelo Tribunal de Contas da União.

Segundo a Folha de S. Paulo, a Secom sabia desde o dia 9 de maio que o certame estava sendo questionado pelo tribunal, mas não forneceu este dado ao processo durante as oitivas do TCU. Durante sessão plenária, o ministro Weder de Oliveira criticou a ação do Planalto.

Post Anterior

Campeonato de futevôlei é realizado durante temporada de praia em Luzimangues, pela Federação Tocantinense da modalidade, em parceria com a prefeitura municipal de Porto Nacional

Próximo Post

Convenções para escolha de candidatos começam na quarta-feira; veja datas

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.