0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 18/09/2020 16:28

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Controladoria Geral da União, deflagrou nesta sexta-feira, 18, a Operação “Cama de Tut”. Os alvos são supostos ilícitos relacionados ao processo de compra de 590 camas hospitalares pelo Governo do Estado do Tocantins.

Trinta policiais federais cumprem seis mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, nas cidades de Palmas (TO) e São Paulo.

Além de novas provas, os agentes verificam a efetiva entrega dos bens adquiridos e o suposto pagamento de vantagens indevidas. O potencial de superfaturamento apontado pelos órgãos de controle seria de mais de R$ 7 milhões.

Os investigados são suspeitos de fraudar o processo licitatório conduzido pela Secretaria Estadual de Saúde e alienar os leitos com valores aproximadamente 227% superiores aos praticados pelo mercado e pela própria empresa que venceu o certame, conforme apurado pelos investigadores, pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria Geral da União.

O grupo poderá responder pelos crimes de fraude a licitação e peculato, cujas penas somadas podem chegar a 16 anos de reclusão.

Foto: ilustração internet
Post Anterior

Impasse entre peritos médicos e INSS deixa um milhão sem atendimento

Próximo Post

Desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto