Home»Destaque»Palestra sobre sexualidade em escola de Palmas provoca polêmica

Palestra sobre sexualidade em escola de Palmas provoca polêmica

A palestra aconteceu durante o turno matutino nesta última terça-feira, 14.

Atualizada em: 15/11/2017 21:40

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Alunos da Escola Municipal de Tempo Integral Anísio Spinola Teixeira  de 11 a 14 anos, localizada no Setor Bertaville região sul de Palmas, participaram nesta última terça-feira, 14, no auditório da unidade escolar de uma palestra que provocou revolta entre os pais dos estudantes. A palestra aconteceu durante o turno matutino. De acordo com depoimentos de alguns pais de alunos, palestrantes da Secretaria Municipal de Juventude, fizeram uma palestra sobre sexualidade com demostrações.

De acordo com a auxiliar de serviços gerais, Ana Paula de Souza, que tem dois filhos matriculados na unidade, o filho de 12 anos que assistiu a palestra contou detalhes do que ouviu assim que chegou em casa. “Meu filho me contou que ele ficou de 08h50 às 11hoo no auditório e que a mulher que está ministrando a palestra, chamou três alunos à frente e colocou preservativo no dedo dos estudantes e simulou sexo oral. E também mostrou aos alunos um lubrificante para sexo anal. Olha é um absurdo isso, estou horrorizada”, conta a mãe do aluno com exclusividade ao portal Orla Notícias.

Segundo a mãe, a escola não informou em nenhum momento sobre a palestra e que foi até a unidade pessoalmente buscar informações sobre a palestra. “Chegando lá a sala da diretoria estava cheia de pais, a coordenadora confirmou que teve essa palestra sim, eu e outros pais vamos tomar providências. Eu não sou contra abordar o assunto na escola, mas não da forma explicita que foi. Eu não aceito isso, são os pais que devem ensinar essas coisas para os filhos”, protesta a mãe.

No grupo dos pais em uma rede social, são diversos depoimentos em que eles se mostram indignados com o fato.

“Essa palestra foi muito fora do limite”, diz uma mãe de aluno.

“É um absurdo”, diz outro pai.

O pai de uma aluna de 10 anos que estuda na escola, Rafael de Brito, serralheiro, procurou com exclusividadeportal Orla Noticias, para falar sobre o acontecimento que deixou muitos pais preocupados. “Eu achei sem noção, minha filha chegou contando pra eu e minha esposa. Achei uma falta de responsabilidade da escola. Ficamos horrorizados, Palestra tem que tem na escola, mas não dessa forma.  Achei um absurdo. Fiquei muito chateado”, conta o pai. 

Um servidor que preferiu não se identificar disse que algumas crianças ficaram constrangidas com a palestra e até quiseram sair do auditório. Os pais estão se mobilizando para irem até o Conselho Tutelar nesta quinta-feira, 15.

Repercussão 

Nas redes sociais o assunto foi discutido durante esta quarta-feira, 15, algumas pessoas criticam a abordagem da palestra e são contrários em tratar alguns assuntos na escola.

Por outro lado, diretora da ETI Padre Josimo, Cleudemar Abreu Lopes, conta que recebeu o projeto na unidade escolar. “Esse projeto foi desenvolvido aqui na escola de maneira muito positiva pelos alunos de 8º e 9º ano acompanhado de uma psicologa que dava todas as condições para os alunos perguntarem, questionando e se informando sobre esses temas que hoje é um tabu se discutir no meio familiar”, conta a diretora. 

Posicionamento prefeitura

Com exclusividade ao Portal Orla Notícias, o Secretário Municipal de Juventude de Palmas, Nahylton Alen, explicou que a palestra faz parte do projeto “E agora?”, que já realizou oito edições em escolas municipais abordando assuntos como sexo, drogas, tecnologia, automutilação e redes sociais. Segundo Alen, uma equipe de especialistas conversa com alunos sobre o tema e a palestra também abre espaço para os estudantes possam tirar dúvidas. O projeto tem a proposta de levar as informações aos adolescentes em um formato bem descontraído, adotando linguagem adequada a cada faixa etária. 

O secretário explicou que essa foi a última edição do projeto neste ano e que os profissionais são habilitados para tratar dos assuntos. De acordo com ele, a repercussão foi uma surpresa. “A gente já realizou essa palestra em outras unidades e não tivemos nenhuma denúncia do tipo, inclusive, por meio dessas palestras chegou até nós vários casos de abuso sexual. Na palestra da escola do Bertaville, alunos fizeram diversas perguntas a sexóloga”, explica Alen. 

Diante da preocupação dos pais, o Secretário disse que vai averiguar os fatos. “Nesta quinta-feira, 15, teremos uma reunião para tratar do assunto,inclusive uma equipe vai na escola para coletar informações sobre o fato”, adianta. 

 

Post Anterior

Tocantins contribui para as estatísticas nacionais na produção de leite

Próximo Post

Curandeiro suspeito de abuso sexual é preso na zona rural de Novo Alegre