0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 21/05/2020 14:51

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira, 21, a Operação “Tempo Perdido”, com o objetivo de desarticular associação criminosa suspeita de desviar recursos da Previdência Social.

Cerca de 55 Policiais Federais cumpriram dois mandados de prisão temporária, duas ordens judiciais de suspensão do exercício de função pública e doze mandados de busca e apreensão, todos expedidos pelo Juízo da 4a Vara Federal da Seção Judiciária do Estado do Tocantins, assim como 13 mandados de intimação, nos estados do Tocantins, Minas Gerais e Distrito Federal.

Operação da Polícia Federal. Foto: PF.

As evidências, até o momento, indicam que os investigados fraudam benefícios previdenciários de diversas formas como majoração do tempo de contribuição, pagamentos de contribuições quase insignificantes, além de recebimento de vantagens indevidas, gerando um prejuízo estimado em mais de R$ 1.090.000,00 aos cofres públicos.

A ação de hoje contou com o apoio da Coordenação-Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho – ME. O nome da operação – Tempo Perdido – faz alusão ao tempo de contribuição que faltava aos investigados para que pudessem obter seus benefícios licitamente.

Post Anterior

Arrecadação federal cai 28,95% e tem pior abril da série histórica por coronavírus

Próximo Post

Famílias de assentamentos do sul do Estado irão receber cestas básicas

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *