Home»Destaque»Oito meses: familiares e vereadores pedem apoio do Ministério da Justiça para solução da morte de Moisés da Sercon

Oito meses: familiares e vereadores pedem apoio do Ministério da Justiça para solução da morte de Moisés da Sercon

Atualizada em: 26/04/2019 08:26

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nesta quarta-feira, 24, familiares do prefeito assassinado de Miracema, Moisés Costa(MDB), o Moisés da Sercon, e lideranças políticas estiveram Ministério da Justiça, em Brasília (DF), para pedir o apoio do ministro Sérgio Moro no caso. No próximo dia 30 de abril o crime completas oito meses e até o momento nenhum suspeito foi preso.

Na ocasião o grupo esteve reunido com a equipe do ministro e protocolaram um documento solicitando uma audiência com Moro. Estiveram no gabinete do ministro, o irmão do prefeito, José Luís Costa, o cunhado Marcelo Guedes, os vereadores Edilson Tavares (MDB), Dr. Ricardo (PSD), Núbio Gomes (PSD), Maria Bala (PSL), Nasci da Ótica (PSD) e Natan Fontes (MDB).

Ao Portal Orla Notícias, o vereador e presidente da Câmara de Miracema, Edilson Tavares, contou que a assessoria de Sérgio Moro garantiu marcar uma audiência com o ministro ainda no mês de maio. Ainda segundo o vereador, a equipe disponibilizou um e-mail exclusivo para a família enviar documentos.

“O nosso objetivo foi pedir ajudar do Ministério da Justiça para que possa agilizar o quanto antes o fechamento do inquérito. E obtermos uma resposta deste crime. Os assessores que recebeu, ficaram de repassar aos órgãos competentes toda a situação e entrar em contato com a SSP e saber como estão as investigações”, explicou Tavares.

O irmão do prefeito, Fidel Costa, contou que a assessoria do ministro ficou comovida com a repercussão. “Um dos assessores, o Lucas, entendeu que é um crime contra a democracia e que não pode ficar sem resposta”, destacou.

Investigadores transferidos

Ainda segundo Fidel, a família tomou conhecimento que na semana passada que dois investigadores que atuavam direto no caso, foram transferidos. “Fomos até o gabinete do secretário de Segurança Pública para saber os motivos, mas ele disse não saber o ocorrido e que iria procurar saber e dar uma resposta para a família. Até o momento não deu a resposta. O que havia sido prometido é que colocaria mais agentes investigadores no caso e fez foi transferir dois sem que o delegado soubesse. E não repôs outros profissionais”, explicou.

SSP

Em nota a Polícia Civil informou que, os dois agentes lotados na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP foram removidos a pedido, por questões pessoais. A Diretoria de Polícia da Capital informou ainda que um agente já foi encaminhado para aquela delegacia e que está efetivando a transferência de outro policial para ocupar a função.

Entenda

Moisés da Sercon foi encontrado morto em uma estrada vicinal entre Miranorte e Rio dos Bois com uma marca de tiro na cabeça no dia 30 de agosto. Inicialmente, a investigação seguia três hipóteses: suicídio, latrocínio e homicídio. O prefeito estava no primeiro mandato, eleito com 84% dos votos válidos.

A família sempre defendeu que não tinha sido suicídio, porque o prefeito não aparentava qualquer sinal de que estivesse enfrentando situação que levasse a isso. O laudo pericial confirmou.

Post Anterior

Você no Orla: moradores de Natividade plantam pés de banana e mamão em ruas esburacadas - veja fotos

Próximo Post

Operação da PC contra fraudes no Detran prende sete no sul do TO: tem filho de político entre os detidos