0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 27/06/2022 16:45

Em depoimento à CGU (Controladoria-Geral da União), o atual ministro da Educação, Victor Godoy Veiga, confirmou que Milton Ribeiro tentou emplacar o pastor lobista Arilton Moura (foto) em seu gabinete quando chefiava o MEC, informa o Estadão.

Segundo o relatório da CGU, Veiga disse que a “intenção inicial” de Ribeiro “era nomear o próprio pastor Arilton Moura para um cargo no MEC”. Sem disponibilidade no gabinete do então ministro, Veiga, que na época era o número dois da pasta, ofereceu outro cargo.

“Teria externado sua insatisfação, inclusive, na frente de outros servidores da pasta, em reuniões do MEC que contaram com a presença do ministro Milton Ribeiro, e requereu que lhe fosse disponibilizado outro com melhor vencimento”, afirma o relatório.

Como publicamos no começo de maio, a Casa Civil barrou a nomeação. Os pastores lobistas, porém, conseguiram emplacar um homem de confiança na pasta, o advogado Luciano de Freitas Musse um dos detidos na operação da Polícia Federal que prendeu também o ex-ministro e os pastores Arilton e Gilmar Santos, na semana passada.

Post Anterior

Relatório de Orçamento autoriza reajuste salarial a policiais federais em 2023

Próximo Post

Lago Corumbá IV ganha empreendimento com mais de 400 mil metros quadrados