0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 13/06/2019 17:27

Uma viagem no tempo à época de ouro do rádio, isso foi o que ‘A Hora do Ary’, espetáculo musical apresentado pela cantora Mara Rita e convidados, proporcionou ao público. Em um resgate histórico da música e comunicação das décadas de 40 e 50, o evento aconteceu nesta quarta-feira, 12, no Theatro Fernanda Montenegro, no projeto na Quarta Clássica.

No foyer do Theatro (local onde os espectadores aguardam o início de uma apresentação), a exposição de rádios antigos e banner com a história dos grandes artistas do rádio já deu o clima do que público poderia esperar do musical, que encenado como se fosse uma emissora de rádio, a PMW 5.0, contou a história de Ary Barroso, tento o próprio, interpretado por João Lino Cavalcante, como entrevistado do programa conduzido por Pietro Lamounier.

No bate papo encenado, ‘Ary Barroso’ relembrou os primeiros momentos da carreira, não só como cantor ou radialista, mas também como estudante de Direito e promotor público e as paixões como a música, o futebol e a sua amada Yvone. Entre uma pergunta e outra, o toque especial ficou por conta dos “reclames publicitários”, interpretados pelas back vocal´s Cinthia Abreu, Leide Theófilo e Tainá Alma, no estilo da época.

E a estrela da noite, Mara Rita, acompanhada dos músicos instrumentistas – Fábio Geriz (piano e direção musical), Paulo de Tarso (saxofone), Fabera (bateria) e Carlos Dias (sopro), apresentou um repertório composto por canções como ‘Aquarela do Brasil’, ‘No Rancho Fundo’, ‘No Tabuleiro da Baiana’ e ‘Baixa do Sapateiro’, que por fazerem parte da memória musical brasileira, foram acompanhadas pelo coro do público.

“As músicas de Ary Barroso são eternas, divertem, tocam a alma e o coração”, afirma Mara Rita, que contou ter criado o espetáculo em homenagem a amiga, Ângela Tedesco. No final do espetáculo, a cantora emocionada agradeceu ao público e parceiros e a Fundação Cultural de Palmas, ao afirmar que “trabalha com a memória da arte”, além de ressaltar a importância da cultura, que segundo ela “melhor o índice de desenvolvimento humano”. O público, que riu e cantou junto todas as canções, aplaudiu de pé.

“Foi um show único e surpreendente”, afirmou a administradora, Rosana Ferraz. Opinião compartilhada pelo contador, Carlos Andrade, “foi a primeira vez que assisti um show da Mara, mas me surpreendi com a qualidade e toda da produção”, afirmou.

Quarta Clássica

O projeto 4ª Clássica, promovido pela Fundação Cultural de Palmas (FCP), apresenta ao público concertos musicais eruditos e populares, instrumentais e vocais, com o melhor do que é produzido em Palmas, da orquestra à música popular, democratizando o acesso ao espaço público, fomentando a produção e a difusão musical local, e a formação de plateia.

 

 

Post Anterior

Pesquisadores elaboram documento em defesa do ecoturismo

Próximo Post

Yes no Tocantins produz uvas e da melhor qualidade