Home»Concurso»MPE-TO recomenda prazo de 15 dias para que Carlesse anule o concurso da Polícia Militar

MPE-TO recomenda prazo de 15 dias para que Carlesse anule o concurso da Polícia Militar

Atualizada em: 25/01/2019 16:04

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Nesta sexta-feira, 25, o Procurador-Geral de Justiça, José Omar de Almeida Júnior, fez uma recomendação ao Governador Mauro Carlesse, e ao comandante-geral da Polícia Militar do Estado do Tocantins, coronel Jaizon Veras Barbosa, para que seja anulado o concurso público para o quadro de soldados e oficiais da PM do Tocantins.

A recomendação tem como base diversos casos de fraude registrados em Inquérito Civil Público e Inquérito Policial. A apreensão de aparelhos celulares nos locais de prova nos municípios de Palmas e Araguaína e a confirmação de que 35 números de telefone receberam os gabaritos das provas aplicadas basearam a recomendação.

O relatório de conclusão do inquérito civil aponta que o certame “foi alvo de uma fraude engendrada por um grupo criminoso extenso, composto por integrantes de diferentes Estados”.

Para o Ministério Público Estadual (MPE-TO), após a divulgação do inquérito, fica impossível a continuidade do concurso público, que prejudicaria quase 70 mil candidatos após a divulgação ilícita do gabarito da prova, bem como o risco da Polícia Militar aceitar em seus quadros candidatos com reputação criminosa. O MPE definiu um prazo de 15 dias úteis para que o Governo do Estado anule o certame.

Governo do Estado

Em nota o Governo do Estado do Tocantins informa que foi notificado de recomendação do Ministério Público Estadual sobre a anulação do concurso público da Polícia Militar, no fim da manhã desta sexta-feira, 25. 

O documento será analisado pela Secretaria da Casa Civil, Procuradoria Geral do Estado e pelo Comando Geral da Polícia Militar. Após essa análise, o Governo do Estado fará uma comunicação oficial acerca do assunto.

Concurso: Em nota, Polícia Militar afirma aguardar desistência de ações na Justiça para dar continuidade a certame

‘Fraude no concurso da PM’ – polícia civil desvenda o esquema e diz que Antônio “concurseiro” fez a prova em Araguaína

 

Post Anterior

Turismo de negócios: Palmas comemora o sucesso de feiras de calçados e confecções

Próximo Post

Voluntários: seleção de elenco para a Paixão de Cristo acontece neste sábado, 26