Home»Destaque»Ministério da Educação libera cerca de R$13 milhões em recursos para UFT

Ministério da Educação libera cerca de R$13 milhões em recursos para UFT

Atualizada em: 09/10/2017 16:23

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Na última quinta-feira, 6, o  MEC (Ministério da Educação) autorizou  a liberação de cerca de  R$ 13 milhões em recursos para a Universidade Federal do Tocantins. O reitor da instituição, Luís Eduardo Bovolato, em declaração a Diretoria de Comunicação da UFT, destacou a importância da liberação dos recursos para a continuidade das atividades da instituição. “A Universidade tem buscado e envidado esforços no sentido de prover mais recursos, importantes para a estruturação e consolidação da UFT. Ressaltamos que é preciso unir forças e, para isto, também contamos com a efetiva colaboração de nossos parlamentares (deputados e senadores) no sentido da liberação de recursos de emendas que beneficiam a sociedade por meio da Universidade”, disse o reitor.

Segundo dados confirmados pela Pró-reitoria de Administração e Finanças (Proad), do total, R$ 2,080 milhões são destinados para custeio, R$ 3,5 milhões para assistência estudantil e pouco mais de R$ 3 milhões para investimento, subtotalizando cerca de R$ 8,6 milhões. Outros R$ 4,7 milhões são provenientes do aumento do valor de limite para autorização para despesa pública (autorização de pagamento).

 A acadêmica de Jornalismo, Heloísa Cipriano, que estuda no campus de Palmas, conta que a disponibilização de recursos é uma boa notícia para a universidade. “Essa liberação de 13 milhões em recursos pra Universidade pode dar uma desafogada em situações bem complicadas, por exemplo para os estudantes que procuram um estágio por aqui e não conseguem. Isso porque a Universidade decretou que não poderá mais contratar estagiários para novas vagas em todos os setores disponíveis.”, diz a universitária.

*Com informações da Universidade Federal do Tocantins.

Post Anterior

Cantor Thiago Soares se prepara para alçar novos voos

Próximo Post

Cerca de 40% dos motoristas de Uber decidem não transportar passageiros para rodoviária e aeroporto de Palmas em forma de prostesto