Home»Destaque»“Meus filhos poderiam estar órfãos”, diz servidora vítima de fake news no caso do prefeito de Miracema

“Meus filhos poderiam estar órfãos”, diz servidora vítima de fake news no caso do prefeito de Miracema

Atualizada em: 06/12/2018 11:44

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A servidora da prefeitura de Miracema, vítima de fake news falou com exclusividade ao Portal Orla Notícias que a penalidade aplicada as três pessoas envolvidas no compartilhamento de notícias falsas não correspondeu ao esperado. A vítima que pediu para não ser identificada, teve a foto de sua família divulgada junto com um áudio que atribuía a morte do prefeito de Miracema, Moisés Costa da Silva, conhecido como Moisés da Sercon, teria sido passional após o marido da mesma ter descoberto uma traição da servidora e do político.

Os envolvidos terão que se retratar publicamente e o autor terá que pagar prestação pecuniária no valor de R$ 800,00 a ser destinado a entidades públicas ou privadas com finalidade social. “Os danos que eles causaram são imensuráveis. A sentença não é nada perto do que passamos. Pelo que poderia ter acontecido com a minha família”, afirmou a servidora emocionada.

No áudio que circulou nas redes sociais, o autor afirmava que: “(…) Já descobriram aqui quem mataram o prefeito de Miracema. Foi motivo de traição. Ele estava tendo um caso com a secretária dele e o marido descobriu. E o marido forçou, botou um revólver na cabeça da esposa e mandou ligar e marcar um encontro com ele. Aí quando chegou lá estava a mulher e o homem dentro, o marido. Aí levaram ele para fora da cidade e mataram. Aí já foi desvendado o crime já”.

A audiência de conciliação aconteceu na última segunda-feira, 3, presidida pelo juiz Marco Antonio Silva Castro, do Juizado Especial Cível e Criminal da Comarca de Miracema. A vítima, mãe de três filhos, disse que temeu pela vida da família. “O Moisés era uma pessoa muito querida, já pensou se a comunidade resolvesse fazer justiça com as próprias mãos? Meus filhos estarias órfãos. Fiquei mais de 10 dias sem sair sozinha, não deixei eles irem para escola. Só ficamos em casa”, contou.

Ainda na audiência, o autor e as outras duas pessoas que compartilharam o áudio e a foto, reconheceram o erro, pediram desculpa e irão se retratar por também por áudio também pelo aplicativo WhatsApp.  A prestação pecuniária será destinada a entidades sociais por escolha das vítimas, como efeito pedagógico.

Entenda

Moisés da Sercon foi encontrado morto em uma estrada vicinal entre Miranorte e Rio dos Bois com uma marca de tiro na cabeça no dia 30 de agosto. Inicialmente, a investigação seguia três hipóteses: suicídio, latrocínio e homicídio. O prefeito estava no primeiro mandato, eleito com 84% dos votos válidos.

A família sempre defendeu que não tinha sido suicídio, porque o prefeito não aparentava qualquer sinal de que estivesse enfrentando situação que levasse a isso. O laudo pericial confirmou o homicídio.

Post Anterior

Amigo da onça: jovem que aproveitou de idosa para sacar R$ 2,7 mil é preso na capital

Próximo Post

Decoração de Natal em Palmas já atrai turistas de dentro e de fora do estado

1 Comentário

  1. Maria
    6 de dezembro de 2018 at 22:08 120812 — Responder

    Que absurdo isso!

    pena muito branda diante do mal causada a essa família e também a família do prefeito.

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *