0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 02/07/2021 20:29

Segundo a consultoria Safras & Mercado, ainda são relatados alguns negócios acima da referência média para animais que cumprem os requisitos de exportação com destino ao mercado chinês.

Algumas unidades frigoríficas permanecem ausentes da compra de gado, avaliando as melhores estratégias de aquisição de boiadas no restante da semana, enquanto as escalas de abate estão posicionadas entre três e cinco dias úteis, em média.

Ainda conforme o analista, muitas especulações em torno da China e seu processo de recomposição do plantel permanecem.

Algumas agências de notícias internacionais apontam para a presença da peste suína africana no território chinês.

Entretanto, relatórios da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) e da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) não mostram um número tão agressivo de casos: pelo contrário, a doença parece controlada.

Enquanto isso, o governo chinês ainda indica para um amplo processo de recomposição do rebanho de suínos na China, que seria a grande justificativa para a intensa queda dos preços.

Post Anterior

Falta da segunda dose e sommelier de vacina: os inimigos da imunização no Brasil

Próximo Post

Pesquisa investiga relação entre baixo nível de testosterona e agravamento da Covid