0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 06/11/2021 09:46

O leilão do 5G resultou, no total, em R$ 46,8 bilhões em arrecadação. O valor se refere à soma dos R$ 7,4 bilhões das outorgas (montantes que as vencedoras pagarão ao governo federal) e de R$ 39,4 bilhões em investimentos obrigatórios em infraestrutura, a partir dos compromissos assumidos pelas empresas.

“É o maior leilão da história da América Latina. E o segundo maior do Brasil. Só ficamos atrás do leilão do pré-sal”, disse o ministro das Comunicações, Fábio Faria.

Foto: Divulgação.

Entre esses compromissos estão, por exemplo, a implantação de internet em escolas públicas e a instalação de redes de fibra ótica em diversos municípios do país. “Se a gente pegar os compromissos para escolas, esse leilão vai permitir o valor total de R$ 3,1 bilhões de reais para a conexão na educação básica nesse país“, disse Abraão Balbino, presidente da Comissão Especial de Licitação da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

No entanto, segundo a agência, os valores para esses investimentos podem ser ainda maiores. Isso porque os lances feitos pelas empresas tiveram ágio total de R$ 4,8 bilhões. O ágio é a diferença entre o lance final e o valor mínimo, inicialmente pedido pelo governo. O edital do leilão prevê que o ágio seja convertido em novos compromissos para as empresas, mas não significa que essa conversão será sobre 100% do valor.

“Então, não podemos dizer, neste momento, o quanto vai para o Tesouro. O que podemos dizer é que 7,4 bilhões foram de valor de outorga. Agora, nem tudo vai de fato para o Tesouro. Tudo vai depender das sessões [da Anatel, para decidir isso] da semana que vem“, disse Abraão.

Confira o resumo dos resultados da arrecadação, por frequência:

700 MHz nacional (ampliação da rede 4G)

Vencedora: Winity II

Outorga: R$ 1,4 bilhão

Ágio: 806%

Compromissos: R$ 2,8 bilhões

3,5 GHz nacional (exclusivamente 5G)

Vencedoras: Claro, TIM e Vivo

Outorgas: R$ 1,35 bilhão

Ágio: 12%

Compromissos: R$ 25,5 bilhões

3,5 GHz regional (exclusivamente 5G)

Vencedoras: Sercomtel (região Norte e Estado de SP); Brisanet (Nordeste e Centro-Oeste); Consórcio 5G Sul (Região Sul); Cloud2U (Estados do Rio, SP e MG) e Algar Telecom (região que abrange Sul de Minas e trechos do Mato Grosso e de São Paulo).

Outorgas: R$ 1,9 bilhão

Ágio: 5.682%

Compromissos: R$ 7,5 bilhões

2,3 GHz regional (4G com futuro compartilhamento com 5G)

Vencedoras: Claro; Brisanet (Nordeste) e Vivo (Estados do RJ, MG e SP)

Outorgas: R$ 1,5 bilhão

Ágio: 267%

Compromissos: R$ 5,9 bilhões

2,3 GHz regional (4G com futuro compartilhamento com 5G) – outros lotes

Vencedoras: Vivo (Norte e Centro-Oeste); TIM (Sul e Sudeste); Vivo – SP e Algar Telecom (região que abrange Sul de Minas e trechos do Mato Grosso e de São Paulo).

Outorgas: R$ 889 milhões

Ágio: 274%

Compromissos: R$ 3,4 bilhões

26 GHz nacional (5G com altíssima capacidade de transmissão de dados, voltado principalmente para a automação industrial e do agronegócio)

Vencedoras: Claro, TIM e Vivo

Outorgas: R$ 291 milhões

Compromissos: R$ 2,6 bilhões

26 GHz regionais (5G com altíssima capacidade de transmissão de dados, voltado principalmente para a automação industrial e do agronegócio)

Vencedoras: Neko (Estado de São Paulo), TIM (São Paulo, Minas, Espírito Santo e Rio de Janeiro), Algar e Flylink (as duas em região que abrange Sul de Minas e trechos do Mato Grosso e de São Paulo).

Outorgas: R$ 61 milhões

Compromissos: R$ 549 milhões

Post Anterior

Quase 65% das cidades do Brasil não tiveram vítimas de Covid-19 em outubro

Próximo Post

Pílula da Pfizer é 89% eficaz na prevenção de internações e mortes por covid

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *