0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 04/08/2022 10:02

Cerca de 200 mulheres de Araguaína participaram na noite desta quarta-feira, 03/08, do lançamento do Prêmio FIETO Mulher que Transforma, iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins em parceria com a consultora e idealizadora do projeto, Nilmar Ruiz.

O Prêmio visa identificar, reconhecer e incentivar empresas lideradas por mulheres com o objetivo de contribuir e fortalecer a representatividade feminina no segmento industrial. Bem como, inspirá-las a desenvolverem suas ideias por meio do empreendedorismo e dar visibilidade a esses negócios.

Após um mês percorrendo todo o estado para divulgação do prêmio a consultora Nilmar Ruiz considera ter fechado esta etapa com chave de ouro, muita emoção, alegria e descontração em Araguaína. Mais de duzentas mulheres de diversos segmentos lotaram o auditório para conhecer o Prêmio. “Agora vem a difícil tarefa de escolher as melhores histórias inscritas, dentre tantos relatos emocionantes e fazer a entrega do Prêmio em Palmas, no dia 18 de agosto”, pontuou a consultora destacando o agradecimento ao presidente da FIETO Roberto Pires e equipe da Federação.

Representando o presidente da FIETO, Roberto Pires, a vice-presidente executiva da instituição e presidente do Sindicato das Indústrias de Confecções do Estado do Tocantins (SICON/TO), Maria Elieth Lobo, destacou que as mulheres de Araguaína são exemplares. “Sabemos que a pandemia prejudicou muito, principalmente, as mulheres, mas acreditamos que saímos mais fortes. Aqui no Tocantins, no comércio varejista, temos 16% de mulheres nos cargos de lideranças. Na indústria, 25%. No geral, incluindo o agronegócio e outros afins, temos 38% de mulheres. Outro dado, a nível nacional, é que 45% das mulheres trabalham e cuidam, sustentam suas famílias”, afirmou.

Isanete Carvalho, empreendedora no ramo alimentício, revelou que fará sua inscrição o mais rápido possível confiante que ganhará o Prêmio representando Araguaína. Ela é proprietária de uma tapiocaria voltada à alimentação saudável. Criou a massa da tapioca a partir de pesquisas com seu pai que à época foi diagnosticado com diabetes e teve que fazer uma mudança em seus hábitos alimentares.

“Ele começou a pesquisar alimentos bons para a alimentação dele e eu ajudei muito. Anos depois, comecei a fazer tapioca”, contou a empreendedora que desenvolveu a massa do produto a partir de 16 ingredientes que incluem sementes e cereais, voltada para pessoas com refluxo, problemas de digestão, que queiram uma reeducação alimentar, e até mesmo ganho de peso.

O Prêmio

A programação de lançamento do Prêmio Mulher que Transforma abrange os 139 municípios tocantinenses, divididos em 12 regiões. O prêmio já foi divulgado em Arraias, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Miracema, Paraíso do Tocantins, Ponte Alta do Tocantins, Porto Nacional e Tocantinópolis. Araguaína foi a última cidade a receber o lançamento do Prêmio. As inscrições encerram nesta sexta-feira, 05/08. A cerimônia de revelação das vencedoras acontece no dia 18 de agosto em Palmas. Todas as informações necessárias, bem como a ficha de inscrição, podem ser conferidas aqui.

Post Anterior

Pré-candidata a Federal, Eliana Castro compartilha sua trajetória em evento para mulheres em Dianópolis

Próximo Post

O imbatível Palmeiras, na Libertadores, cala o Mineirão. Empate aos 47 minutos do segundo tempo. Gosto de vitória. Dor para Cuca

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.