0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 27/06/2019 17:06

A senadora Kátia Abreu (PDT-TO) foi favorável ao projeto, aprovado nesta quarta-feira (26) pelo Senado, que permite ao proprietário ou ao gerente de uma fazenda andar armado em toda a área da propriedade e não apenas na sede. Segundo a parlamentar, a medida “faz justiça aos produtores rurais”.

O projeto, explicou Kátia Abreu, corrige um equívoco do Estatuto do Desarmamento, de 2003, que autoriza a posse de arma de fogo no interior das residências e no local de trabalho, mas não particulariza a situação dos imóveis rurais. A matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados.

“Sou a favor da posse de arma de fogo dentro da propriedade. Fazenda é local de trabalho. Então por que eu vou permitir que um empresário da cidade tenha a posse da sua arma e não vou permitir um produtor rural? Eu não aceito tratamento diferente. O projeto de hoje corrige isso e faz justiça aos produtores”, afirmou a senadora.

Kátia Abreu destacou que a posse de arma de fogo dentro de toda a fazenda é necessária devido ao isolamento do produtor rural, que não tem a mesma proteção ofertada pelo Estado aos que moram nos centros urbanos. 

“Os produtores estão não têm segurança, nem os pequenos nem os grandes. Até os assentamentos da reforma agrária hoje em dia são alvo de assalto e roubo de implementos. O fazendeiro grande e rico pode contratar uma empresa de segurança, mas estamos falando aqui dos médios e pequenos, que muitas vezes nem sinal de telefonia têm”, disse.

Foto:Jefferson Rudy/Agência Senado  

Post Anterior

Investimentos em eficiência energética mudam realidade dos moradores de Itacajá

Próximo Post

Análise de balneabilidade atesta qualidade das praias de Palmas