0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 15/05/2022 07:03

O jogador Rafael Ramos, do Corinthians, foi preso em flagrante neste sábado (14) após ter sido acusado de cometer injúria racial contra o volante Edenilson, do Internacional. Após pagamento de fiança, o atleta foi liberado e responderá em liberdade.

O caso aconteceu em partida válida pelo Brasileirão, disputada no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

De acordo com o clube paulista, a lei exige que seja feita a detenção em flagrante devido à denúncia. Em nota (leia abaixo), o Corinthians afirmou que “o pagamento de fiança não implica em admissão de culpa”.

Ainda segundo o Corinthians, o jogador disse ao time que não proferiu injúria racial e procurou Edenilson no vestiário do Internacional para se explicar.

Em postagem nas redes sociais, Ramos afirmou que não cometeu o ato racista. “Sempre me pautei por uma postura correta em toda a minha carreira, e não iria ser de outra forma agora”, disse.

Leia a nota do Corinthians na íntegra

O Corinthians reafirma que, coerente com seus 111 anos de história, repudia e não compactua com o racismo.

O atleta Rafael Ramos foi ouvido pelo clube e deu versão diferente do incidente no Beira-Rio, durante a partida contra o Internacional pelo Brasileirão 2022. Logo depois, seguro de que não proferiu injúria racial, fez questão de se explicar a Edenilson, no vestiário do Internacional.

Em decorrência da denúncia feita pelo atleta colorado, a lei obriga que se trate o caso como flagrante, seguido de detenção. O pagamento de fiança não implica admissão de culpa, permitindo ao atleta que se defenda em liberdade no inquérito.

Clube e atleta continuarão a colaborar com as autoridades, certos de que tudo será esclarecido o mais rapidamente possível.

Atenciosamente,
Sport Club Corinthians Paulista.

Entenda o caso

Defendendo a liderança do Campeonato Brasileiro, o Corinthians foi a Porto Alegre enfrentar o Internacional neste sábado (14). Durante a partida, o volante Edenilson, do Internacional, afirmou ao árbitro que o lateral direito Rafael Ramos, do Corinthians, o teria chamado de “macaco”. A partida ficou paralisada por alguns minutos e foi retomada.

Edenilson prestou queixa contra Ramos após a partida a agentes da Polícia Civil, que foram ao vestiário apurar o ocorrido com o jogador. Em publicação nas redes sociais após o jogo, o atleta do Colorado pontuou que “sabe o que ouviu”, reiterou que sofreu o xingamento e repudiou o suposto ato do companheiro de profissão.

Em nota, o Internacional confirmou que Edenilson relatou ter sofrido injúria racial por parte de Rafael Ramos. O pronunciamento acrescenta que “é inadmissível que ainda ocorram fatos desse tipo em 2022, não há espaço para o racismo em nossa sociedade”.

“O Clube do Povo reitera que repudia todo e qualquer ato de preconceito e apoia o seu atleta”, finaliza o texto.

O Corinthians se pronunciou oficialmente apenas na madrugada de domingo (15), informando que Rafael Ramos negou que proferiu o xingamento e que o atleta foi procurar Edenilson no vestiário, após a partida, para se explicar.

Ainda segundo o clube paulista, “em decorrência da denúncia feita pelo atleta colorado, a lei obriga que se trate o caso como flagrante, seguido de detenção. O pagamento de fiança não implica admissão de culpa, permitindo ao atleta que se defenda em liberdade no inquérito”.

O Corinthians finaliza pontuando que tanto o clube quanto o atleta estarão à disposição das autoridades.

O que é injúria racial

Injúria racial é um crime é previsto no Código Penal e estabelece punição de 1 a 3 anos de reclusão e multa para quem ofende a dignidade de outra pessoa utilizando elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, entre outros. Consistindo, assim, ataque à honra ou à imagem e violação de direitos constitucionais.

Diferente do crime de racismo, previsto na Lei 7.716/1989, que ocorre quando a pessoa do agressor atinge um grupo ou coletivo de pessoas, discriminando uma etnia de forma geral. Assim, no crime de racismo, a ofensa é contra uma coletividade, por exemplo, toda uma raça, não há especificação da vítima.

Post Anterior

Agrotins 2022: Feira ultrapassa expectativa e movimenta em 4 dias R$ 2,5 Bi em negócios

Próximo Post

Eleições serão “limpas, transparentes” e “com urnas eletrônicas”, diz Moraes