0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 05/11/2019 17:15

Por Joãozinei Rocha 
médico-cirurgião e ex-prefeito de Rio Sono
Joãozinei Rocha. 
médico-cirurgião e ex-prefeito de Rio Sono. Foto: Arquivo Pessoal.
 

Com um conjunto de características únicas, o Parque Estadual do Jalapão reúne encantos naturais, arte e cultura, além de uma gente hospitaleira. Reduto de aventureiros, a região tem recebido milhares de turista por ano, atraídos pela possibilidade de desbravar uma região isolada, que começa a despertar a atenção dos brasileiros e do mundo inteiro. Contudo, ainda é sentida a falta de estruturas básicas em todo o território que compreende esse grande parque, ao prejudicar o turismo e as comunidades locais.

Adentrar ao Jalapão é se deparar com uma misteriosa duna de areia alaranjada presente num terreno de vegetação rasteira, que mistura cerrado, campina e matas de galeria. Ao fundo, grandes serras e chapadões dão todo um charme de oásis ao local. Além desse cenário surpreendente, é possível encontrar ainda neste paraíso rios, riachos e ribeirões, além de cachoeiras e nascentes de água cristalina. A exuberância do local já foi pano de fundo de novelas e reality show.

Na região, dois importantes municípios dão suporte a quem chega para conhecer o Parque: Mateiros e São Félix. Hospitaleira, a população local encontro no turismo uma forma de fazer ou ampliar renda. Novos empreendimentos na área começam a trazer mais comodidade a quem chega. As comunidades locais presentes nos territórios dos Municípios recebem os turistas e mostram os produtos de trabalhos artesanais, produzidos com uma matéria prima singular: o capim dourado.

Porém, a população das cidades, os visitantes e as comunidades encontram ainda dificuldades de infraestrutura, em diversos sentidos. Para chegar em Mateiros ou São Félix é preciso percorrer rodovias estaduais não pavimentadas, num solo arenoso que dificulta o acesso e ocasionalmente danifica veículos que por ali trafegam.  Numa outra realidade, o comércio e os serviços ainda não conseguem suprimir a demanda de pessoas que circulam pelo Parque, apesar do aumento de empreendimentos na região.

A dificuldade de acesso leva ainda ao alto preço de produtos encontrados no Jalapão. À exemplo a gasolina, que chega a ser 30% mais cara do que o produto encontrado em Palmas, capital do Tocantins. Além disso, as estradas vicinais ainda necessitam de manutenções, assim com a construção de pontes. Ainda, a construção de um pequeno aeroporto na região para receber voos de taxi aéreo e de transporte de cargas, haja vista o interesse do Governo do Tocantins em criar rotas de aviação dentro do Estado, para a interligação entre cidades.

Foto: Washington Luis/Governo do Tocantins

Garantia de redenção turística do Tocantins, o Parque Estadual do Jalapão é candidato a um dos pilares de desenvolvimento do Tocantins, bem como dos municípios de Lagoa do Tocantins, Lizarda, Mateiros, Novo Acordo, Ponte Alta do Tocantins, Santa Tereza do Tocantins e São Félix do Tocantins, cujo território do parque esta presente. Mais do que isso, é fator de desenvolvimento das populações locais e tradicionais da região. Com a implementação de infraestrutura adequada, que atenda aos desejos das pessoas e ao cuidado com o meio ambiente é possível construir um espaço de crescimento e progresso.

Post Anterior

Novembro azul: deputada propõe folga para realização de exames contra câncer de próstata

Próximo Post

Em coletiva, SSP apresenta redução de 21,1% dos crimes violentos no balanço do quadrimestre