Home»Destaque»Homem que alegava ser líder espiritual é condenado por estupro de seis crianças

Homem que alegava ser líder espiritual é condenado por estupro de seis crianças

Jacir Gomes atuava com uma comparsa, Josiane de Souza Gomes, que enganava os pais das vítimas e as levava para que fossem abusadas por ele

Atualizada em: 17/11/2017 10:44

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Conhecido como o “Monstro de Porto Nacional”, Jacir Gomes, de 64 anos, que alegava ser líder espiritual, foi preso e condenado por estupro vulnerável, junto com sua comparsa Josiane de Souza Gomes, que, segundo a Polícia Civil, enganava os pais das vítimas, levando-as para Jacir. Elas sofriam abuso quando ficavam a sós com ele, nas “consultas espirituais”, que ele alegava fazer, e as mantinha em silêncio mediante ameaças. Ele reside em Porto Nacional há 17 anos, e a polícia suspeita de que ele vinha cometendo os crimes durante todo esse tempo.

As vítimas tinham de oito a 12 anos. Segundo o Delegado José Antônio da Silva, as investigações começaram quando a mãe de uma delas registrou boletim de ocorrência no início do ano, contando que a filha estava sendo ameaçada por Josiane. A menina prestava serviços domésticos em Porto Nacional, e se recusou a ir, chorando. Foi feito um exame de corpo de delito, onde foi comprovado abuso sexual. A menina contou ainda que era levada para a casa de Jacir, onde sofria as agressões, e a partir disso, outros pais de crianças que eram levadas até lá por Josiane começaram a confirmar os abusos.

Jacir Gomes havia sido preso provisoriamente em março deste ano, e com a condenação pelos seis processos criminais, sua sentença chega a 65 anos de reclusão, e a de Josiane, 38. Ambas serão cumpridas em regime fechado.

Post Anterior

17ª edição da Meia Maratona do Tocantins já tem mais de 600 inscritos

Próximo Post

2ª temporada do Festival Ópera na Tela exibe “Um Baile de Máscaras” neste sábado,18