0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 23/02/2021 14:09

A Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia anunciou nesta terça-feira, 23, que vai prorrogar por mais 60 dias (março e abril) a suspensão da necessidade de se fazer prova de vida no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

Para as 5,3 milhões de pessoas que não realizaram a comprovação em 2020, o procedimento poderá ser feito de forma virtual.

Será por meio do aplicativo meugov.br, disponível para iOS e Android. A ferramenta digital utiliza o reconhecimento facial e cruza informações do cidadão com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e o Denatram (Departamento Nacional de Trânsito). A tecnologia foi elaborada pela DataPrev e pelo Serpro.

O anúncio foi feito pelo canal da secretaria no YouTube. Participaram o secretário da área, Bruno Bianco; o secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Caio Mario Paes de Andrade; o presidente do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), Leonardo Rolim; e o presidente da DataPrev, Gustavo Canuto.

O aposentado e pensionista que tiver o aplicativo do MeuINSS será notificado (SMS ou aplicativo) e direcionado ao meugov.br –caso já o tenha baixado nas lojas virtuais. Quem for selecionado será notificado pelo INSS e poderá fazer o serviço. Será instruído e, em poucos minutos, finaliza o procedimento. A prova de vida pelo app tem a mesma validade que a feita pelos bancos, que continuará a ser feita normalmente.

A ferramenta digital já foi testada em projeto piloto com 500 mil beneficiários. O INSS tem 36 milhões de segurados. A mudança vale a partir de março.

O secretário de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, afirmou que a prova de vida traz dinâmica, segurança e praticidade. Também permitiu que os servidores escalados para fazer esse serviço anteriormente pudessem ser alocados em outras áreas prioritárias do INSS –que não a prova de vida. “O serviço público ganha pela rapidez e agilidade”, declarou.

O secretário de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Caio Mario Paes de Andrade, declarou que a pessoa que precisa comprovar que está viva tem que se deslocar de casa para realizar o procedimento. O aplicativo facilita o processo. “O INSS está cada vez mais digital. Nosso plano até 2022 é fazer quase que completamente a transformação digital. Vai ficar mais transparente, eficiente, diminuindo fraudes e vazamentos. Criando políticas públicas que perduram, que não voltam para traz. É um legado. Ninguém vai voltar a fazer prova de vida presencial”, afirmou.

Post Anterior

Senado vai propor liberar  compra de vacinas por Estados, municípios e empresas

Próximo Post

Tocantins contabiliza 704 novos casos confirmados da Covid-19

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *