0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 28/07/2022 15:02

Durante o auge da pandemia, o governo Bolsonaro pagou auxílio emergencial para 135,7 mil mortos, o que gerou prejuízo de R$ 336,1 milhões aos cofres públicos, de acordo com auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU) sobre fraudes envolvendo o benefício.

Segundo O Globo, ao rastrear todos os pagamentos realizados de maneira irregular, o órgão de constatou um prejuízo de R$ 9,4 bilhões. O auxílio, que inicialmente era de R$ 600 por mês,  foi pago a 68,2 milhões de pessoas em 2020 e 2021.

Além dos mortos, o benefício foi pago indevidamente a empregados do governo federal, menores de idade e até a político ocupante de cargo eletivo. Em relação aos mortos que receberam o benefício, a CGU solicitou que o Ministério da Cidadania, encarregado de desembolsar os recursos, “defina procedimentos e responsabilidades pelo acompanhamento da devolução de recursos referentes às parcelas pagas após o óbito dos beneficiários”.

 

Post Anterior

 Tocantins é o segundo estado com maior número de queimadas desde janeiro

Próximo Post

Brasil cria 277,9 mil empregos formais em junho

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.