0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/04/2022 16:36

Os salários dos servidores do Executivo estadual tocantinense estarão disponíveis para movimentações financeiras nesta quarta-feira, dia 27. Com a execução da folha de pagamento referente ao mês de abril antecipada em três dias, o Governo do Tocantins injeta na economia local R$ 204.489.647,79, valor líquido da folha.

Desse montante, mais de R$ 6,1 milhões correspondem às implementações das progressões de 2016 até 2018. Lembrando que na folha de maio, serão implementadas progressões referentes ao ano 2019; e as de 2020 serão implementadas na folha de junho. São mais de 28 mil progressões a ser implementadas na folha de pagamento entre os meses de abril e junho deste ano.

Além de manter os salários em dia, a orientação do governador Wanderlei Barbosa é que as equipes técnicas das secretarias de Estado da Administração; da Fazenda; e da Administração agilizem os preparativos para, sempre que possível, o pagamento ser antecipado. “A análise é simples, a certeza do dinheiro em conta permite o servidor programar melhor seu próprio financeiro”, destaca o governador.

Já o secretário de Estado da Fazenda, Júlio Edstron Secundino Santos, destaca outro fator importante gerado pelo pagamento dos servidores, o aquecimento da economia, já que o dinheiro disponibilizado mensalmente vem de uma das principais fontes que alimentam o comércio local. “Se por um lado é sempre bom para o servidor receber em dia pelo trabalho que prestou; por outro, também é interessante aos lojistas, que podem, inclusive, criar estratégias para atrair os clientes, aumentar o consumo e, consequentemente, fazer o próprio negócio crescer”, defende o secretário, acrescentando que o giro do dinheiro faz a economia crescer.

De janeiro a abril deste ano, o Governo do Tocantins já investiu no pagamento de seus servidores aproximadamente R$ 1,9 bilhão.

Post Anterior

Choque de preços de alimentos e combustíveis vai durar ao menos três anos, prevê Banco Mundial

Próximo Post

Pacheco diz que cassação de Daniel Silveira precisa passar pela Câmara