0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 09/03/2022 15:05

Em virtude da guerra da Ucrânia, os 27 governadores brasileiros discutem a possibilidade de prorrogar, pela segunda vez, o congelamento das alíquotas de ICMS sobre os combustíveis.

Em outubro do ano passado, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou, por unanimidade, o congelamento do valor do ICMS cobrado nas vendas de combustíveis por 90 dias. A medida foi prorrogada em janeiro último, com vigência até o final deste mês.

Segundo eles, os estados perderam R$ 10 bilhões em arrecadação após o congelamento do ICMS.

“Estados e municípios vivem um bombardeio permanente, somos a Ucrânia e o Poder Central no Brasil é um bombardeio em cima do outro”, declarou Dias (foto) há pouco.

“Já provamos que é uma falácia dizer que o ICMS é o vilão e os estados, Distrito Federal e municípios os culpados pelo preço dos combustíveis. Desde outubro do ano passado aprovamos o chamado ‘congelamento dos preços de referência para ICMS nos combustíveis’ e seguiram subindo os preços da gasolina e diesel em todas as regiões do Brasil. Por quê? Porque é a internacionalização do preço que causa os aumentos”, acrescentou Dias.

Post Anterior

Polônia quer 'cortar oxigênio' da 'máquina de guerra' russa e enviar Migs-29 à Ucrânia

Próximo Post

MP que concede reajuste salarial de 10,16% aos servidores municipais de Palmas é aprovada por unanimidade na Câmara