0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 16/04/2022 11:08

Chitãozinho e Xororó abrem a série de comemorações às cinco décadas de carreira da dupla, neste sábado (16), no Royal Palm Hall, em Campinas, interior de São Paulo. Os cantores, que construíram uma das trajetórias de maior sucesso na música sertaneja, vão rodar o Brasil e o mundo com a turnê 50 anos – Por Todos os Tempos.

De acordo com os artistas, a ideia do novo show é revistar as principais fases das histórias de vida dos dois e da família. Para isso, o repertório foi cuidadosamente escolhido para retratar cada uma das etapas.

“Algumas canções que a gente sempre gostou e não teve oportunidade de trazer para o palco. Cada momento do show é emocionante porque a gente lembra cada momento da nossa vida”, contou Chitãozinho. 

Além disso, segundo Xororó, o novo projeto vai contar com diversos elementos tecnológicos em cima do palco. “Os painéis de LED dão liberdade para mostrar coisas maravilhosas. A gente ainda não sabe exatamente. A estreia vai ser em Campinas”, disse o músico fazendo um pouco de suspense. 

Início da carreira

O começo da carreira foi marcado por apresentações em circos e cidades pelo interior de Brasil. “As pessoas chegavam e falavam que o show era muito bom e que faríamos sucesso, mas esse dia nunca chegava. O respeito e o carinho com o público sempre foram os mesmos”, completou Xororó.

Apesar das dificuldades no início, a dupla Chitãozinho e Xororó conquistou o sucesso e acumula mais de 40 milhões de discos vendidos. Ao longo de cinco décadas, eles gravaram 39 álbuns, dez DVDs, venceram cinco Grammy e gravaram mais de 400 músicas. 

Entre tantas canções, Chitãozinho considera Fio de Cabelo um divisor de águas. “Todas elas são importantes. Cada uma com a sua época, mas eu diria que Fio de Cabelo. O segmento era bem menor. Mas o sucesso foi tão grande que atingiu outro público. A gente começou a cantar para outras pessoas que gostavam de outros estilos musicais.”

Post Anterior

Dupla pesca um pirarucu de mais de 2 metros e 100 kg no rio Madeira

Próximo Post

TCU investiga compra de próteses penianas pelo Exército