0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/04/2022 14:13

A quantidade de exportações de frutas frescas do Brasil cresceu 2% no primeiro trimestre de 2022, em comparação ao mesmo período do ano anterior. Ao todo, os embarques bateram 250 mil toneladas. O Faturamento, entretanto, se manteve o mesmo: perto de US$ 200 milhões.

Melão e limão somaram pouco mais de 110 mil toneladas. Respectivamente, os envios cresceram 4% e 20%, conforme os dados da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafruta).

O aumento dos embarques de limão ocorreu em meio abertura do mercado Chileno no primeiro mês do ano. Além disso, países como México, Colômbia e Guatemala ficaram sem produção, abrindo espaço para a fruta brasileira no exterior.

Outra cultura com colheita prejudicada pela chuva foi a uva. Segundo a Abrafruta, os produtores relatam falta de fruta no campo. Assim, o pouco que tem está sendo escoado no mercado interno, o que resultou na queda de 59% das exportações em volume e 61% no valor.

A maçã reduziu em 52% no volume e 56% em valor. A quebra de produção por estiagem nas regiões produtoras influenciou a diminuição dos envios. A estiagem também provocou redução no tamanho do fruto, o que prejudica as exportações.

O melão foi a fruta mais exportada

Post Anterior

DIANTE DE PREFEITOS, LIRA DEFENDE “ORÇAMENTO SECRETO” E COMPARA REPASSE DE VERBAS

Próximo Post

Agrotins 2022: Com foco no agronegócio sustentável, produtoras tocantinenses mostram que é possível produzir em larga escala e preservar recursos naturais