Home»Destaque»Ex-governador anuncia que recorrerá de condenação à prisão e se diz vítima de “falácias”

Ex-governador anuncia que recorrerá de condenação à prisão e se diz vítima de “falácias”

Atualizada em: 15/06/2018 12:14

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O ex-deputado estadual e ex-governador do Tocantins, Sandoval Cardoso, enviou nota ao Portal Orla Notícias se manifestando sobre a condenação que recebeu da justiça, em ação do Ministério Público Estadual. O político informou que recorrerá até a “última instância para provar sua inocência”. 

A nota, assinada pela assessoria jurídica, diz que Cardoso “não concorda com a decisão proferida e irá recorrer, pois trata-se de falácias pronunciadas no período eleitoral do ano de 2014”.

Confira o texto na íntegra:

Diante das notícias veiculadas a respeito da decisão proferida na data de ontem, Sandoval Lobo Cardoso, vem esclarecer que, respeita à justiça, contudo, não concorda com a decisão proferida e irá recorrer, pois trata-se de falácias pronunciadas no período eleitoral do ano de 2014.

Reitera que todas as suas prestações de contas, durante os anos em que foi deputado, foram devidamente apreciadas e aprovadas, o que demonstra a legalidade da sua conduta na Assembleia Legislativa do Estado do Tocantins.

Sandoval Cardoso possui plena convicção que foi vítima de um processo eleitoral conturbado e falacioso, a prova disso é que o juiz em sua respeitável decisão deixou claro que “não se pode negar a constatação de pretensão de exploração política da situação descrita nos autos, inclusive com matéria jornalística”.

Antecipa que irá recorrer até a última instância para provar sua inocência, com a consciência tranquila de quem nada deve.

Assessoria jurídica de Sandoval Lobo Cardoso.

Ex-governador Sandoval Cardoso é condenado à prisão por usar notas frias para comprovar despesas quando era deputado

Post Anterior

Golpe do carro novo: quadrilha locava veículos para revender em Palmas - veja entrevista

Próximo Post

Seminário da Polícia Militar discute mudanças na Lei Penal Militar