Home»Destaque»Emissão de passaporte exigirá menos documentos a partir de dezembro

Emissão de passaporte exigirá menos documentos a partir de dezembro

O objetivo da medida é desburocratizar a oferta de serviços e reduzir custos

Atualizada em: 30/11/2017 14:06

0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

A partir de dezembro, quem for tirar o passaporte vai poder apresentar uma quantidade menor de documentos. A nova regra vai ser implementada a partir do mês que vem, e valerá para todo o país, gradualmente, até o fim de 2018. A medida busca a desburocratização da oferta de serviços e redução de custos.

“O objetivo é a simplificação administrativa, a modernização da gestão e a melhoria da prestação dos serviços públicos”, contou a subchefe de articulação e monitoramento da Casa Civil, Natália Marcassa, em entrevista ao site Agência Brasil.

A assistente social Missulan Milani vai viajar para a Europa em março de 2018.  Imagem: acervo pessoal

A assistente social Missulan Milani vai viajar para a Europa em março de 2018, e tirou o passaporte em fevereiro deste ano. Ela solicitou o documento cerca de 20 dias antes da data de recebimento, e conta que achou o preço salgado (259 reais). Após a solicitação, ela fez a entrevista, e o passaporte ficou pronto em seis dias. Segundo ela, na lista da Polícia Federal são exigidos “todos os documentos possíveis”: título de eleitor, comprovante de voto, certidão de casamento, CPF, RG, entre outros. Mas hora da entrevista, os únicos documentos exigidos foram a identidade e o comprovante de voto. Ela gostou muito da novidade, pela praticidade, porque no caso dela, era ainda mais difícil, porque o posto da da PF mais perto de onde ela mora fica a 400 km de distância.

Segundo as regras da nova medida, os documentos dispensados serão buscados na base dados do governo pelo órgão responsável pela emissão do passaporte. Assim, não será necessário solicitar um documento em um órgão para ter que entregar em outro.

Aqui em Palmas, ainda não há previsão de quando o serviço estará disponível. A Polícia Federal informou que o novo sistema ainda está em fase de testes, e que por enquanto ainda é necessária a apresentação dos de todos os documentos exigidos.

 

Post Anterior

Prefeitos tocantinenses falam sobre o impacto da redução de 12,72% do último FPM de novembro

Próximo Post

Orla TV: Presidente do Sindifiscal no Tocantins Carlos Campos, fala sobre como a reforma trabalhista pode afetar os sindicatos