0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 13/06/2019 08:30

Os postes que fazem parte da infraestrutura da rede de energia da Energisa também são utilizados para a instalação de iluminação pública e por empresas de telecomunicações. Estes ficam na parte inferior das estruturas e fornecem telefonia e internet para a população.

No caso do compartilhamento dos postes entre a Energisa e as empresas de telecomunicações, há uma Resolução Conjunta da ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica e ANATEL – Agência Nacional de Telecomunicações que estabelece as responsabilidades desse uso mútuo dos postes.  “Quem faz a gestão deste tipo de compartilhamento é a Energisa, por isso, a instalação de redes de telecomunicação deve ser realizada junto à distribuidora, com a obrigatoriedade de apresentação e aprovação de projeto”, explica Pedro Petri, engenheiro de distribuição da Energisa, completando que a distribuidora realiza um trabalho junto às empresas de telecomunicação para garantir que o compartilhamento das estruturas seja realizado com total segurança e adequado às normas do setor elétrico.

A Energisa cede o espaço para os cabos de telefonia e internet, no entanto, é responsabilidade das empresas de telecomunicação fazer a instalação e manutenção deste cabeamento. “Ou seja, essas empresas devem manter os cabos de Telecom alinhados, seguindo as normas técnicas e de segurança, evitando cabos soltos ou muito baixos, e qualquer situação que coloque em risco a comunidade”, afirma. Nos últimos quatro anos, a procura pelo compartilhamento dos postes da distribuidora aumentou mais de 1000%. “Nós estamos intensificando as ações junto às empresas de Telecom para garantir que esse crescimento seja ordenado, evitar instalações de redes de telecomunicações clandestinas ou inadequadas, pois os cabos só podem ser instalados após aprovação de projeto junto à Energisa”, pontua Pedro. 

Entre as ações desenvolvidas pela Energisa está o Workshop de Uso Mútuo com as empresas de telecomunicações, reforçar a importância da segurança na execução dos serviços, bem como levar informações sobre o compartilhamento. Além disso, a distribuidora informou que instalações clandestinas e à revelia serão notificadas, podendo sofrer multa e até a remoção dos cabos. “A ideia é regularizar esse compartilhamento, trazendo benefícios para toda a população, seja para os clientes da rede de energia ou de telecomunicações”, finaliza Pedro.

Trinta e duas empresas que prestam serviço de internet e telefonia no Tocantins estiveram na Energisa para participar do II Workshop de Uso Mútuo. Aureliano Arantes, diretor-geral da Zap Telecom, que faz o uso de postes da distribuidora, destacou que o evento traz mais conhecimento sobre a atividade, principalmente com relação aos aspectos de segurança. “A Energisa prioriza a segurança, recebemos orientações importantes sobre a apresentação de projetos e percebemos que a empresa está aberta para nos ouvir também e isso é muito importante.”  

Para utilizar a infraestrutura da Energisa para cabeamento, a empresa interessada deve entrar em contato com a distribuidora, na área de contratos, e apresentar a documentação necessária para regularização da empesa de Telecom que ainda não possui contrato com a Energisa. Para contato, denúncias, reclamações e dúvidas o canal é [email protected].

Post Anterior

Produtos típicos de festas juninas sobem 9,15%, diz FGV

Próximo Post

Senado aprova criação da Universidade Federal do Norte do Tocantins; matéria vai à sanção presidencial