0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 06/06/2022 15:54

O Córrego Bota e Tira ganhou ação especial neste domingo, 05, data em que se comemorou o Dia Mundial do Meio Ambiente. Um mutirão realizado pela Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA), por meio do Programa Água Viva, e em parceria com a Defesa Civil do Município, Corpo de Bombeiros do Tocantins, Universidade Federal do Tocantins (UFT), BRK Ambiental, associações e cooperativas de catadores, voluntários da comunidade, dentre outros realizou uma limpeza no curso d’água e entorno, retirando material descartado incorretamente, causando poluição.

O material recolhido será entregue às associações e cooperativas de catadores, que vão dar destinação correta aos resíduos retirados do local. Além dos resultados positivos para o meio ambiente, o presidente da FMA, Fábio Chaves, destacou ainda como benefício da atividade a possibilidade de incrementar a renda das famílias de catadores por meio da reciclagem.

“O resíduo retirado na área do córrego Bota e Tira deixou de prejudicar o curso d’água e agora será destinado à reciclagem, gerando riqueza”, comentou Fábio Chaves. Ele disse ainda que ações desta natureza contribuem para despertar na comunidade a responsabilidade de preservar o meio ambiente.

O Córrego

O Córrego Bota e Tira, localizado na região sul de Palmas, entre os setores Jardim Laila e Morada do Sol III, tem aproximadamente 1.500 metros de extensão e é um afluente do Córrego Cipó, cuja nascente está integralmente situada em área urbana sofrendo significativo impacto da pressão sobre suas Áreas de Preservação Permanentes (APP).

Água Viva

O biólogo Marcelo Grison, responsável pelo Água Viva, explicou que o programa se enquadra aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS 6, que visam assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos, e ODS 15, que visa proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade.

“A Fundação de Meio Ambiente de Palmas faz um trabalho constante de monitoramento dos corpos hídricos do município, com o objetivo de desenvolver ações de recuperação, proteção e preservação”, destacou Marcelo Grison.

Post Anterior

Brasil criou 196,9 mil empregos com carteira assinada em abril

Próximo Post

Soldado brasileiro que lutava na Ucrânia morreu em combate, dizem companheiros

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.