0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 24/06/2022 19:59

Em telefonema à sua equipe de defesa, Arilton Moura (na foto, ao lado de Milton Ribeiro), um dos pastores acusados de participar de um esquema de corrupção no MEC, afirmou que iria “destruir todo mundo” caso as investigações atingissem sua família, informa O Globo.

Moura ligou para seus advogados após ter sido levado preso à sede da Polícia Federal no Pará, na última quarta-feira (22). O telefonema foi feito antes de ele ser recolhido à carceragem, segundo o jornal carioca.

Segundo O Globo, a interlocutora tentou tranquilizar o pastor e disse já ter conversado com a família dele sobre a prisão.

“Nas investigações, Moura é acusado de intermediar contatos de prefeituras com o Ministério da Educação em troca de (…) propina. A PF rastreou uma transferência bancária feita ao genro de Moura, Helder Bartolomeu, no valor de R$ 30 mil, que seria propina por sua atuação para abrir portas no MEC. Bartolomeu também foi preso na quarta-feira. Todos foram soltos no dia seguinte, por decisão do Tribunal Regional Federal da 1ª Região”, escreve o jornal.

Post Anterior

Gilmar marca audiência de conciliação sobre ICMS dos combustíveis

Próximo Post

Esposa de Milton Ribeiro disse que ex-ministro sabia de operação da PF