0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 25/04/2019 16:06

De acordo com dados do Ministério da Saúde, foram resgistrados de janeiro a março de 2019, três casos de malária na na região Médio Norte Araguaia. Segundo a enfermeira da área técnica, Denize Khirlley, as pessoas adquiriram a doença fora do estado. “É preciso ressaltar que esses casos não foram adquiridos aqui no Tocantins, foram de pessoas que contraíram a doença fora do nosso território, mas foram diagnosticados por aqui”, concluiu Denize.

Já de janeiro a março de 2018, foram notificados 12 casos. Ainda segundo o Ministério da Saúde, em todo o ano passado foram notificados 25 casos. No ano de 2018, a redução foi de 66,2% no número de casos em comparação com o ano anterior.

Dia 25 de abril é lembrado como o dia Mundial da luta contra a Malária. A data foi criada com o intuito de reconhecer o empenho, o controle mais eficaz desta doença, o aproveitamento e apoio das experiências bem sucedidas. A Amazônia Legal é responsável por 99% dos casos de malária no Brasil.  Ainda segundo a enfermeira da área técnica, Denize Khirlley, o Tocantins é o Estado da região Amazônica com menor participação no número total de casos notificados. “Nos assemelhamos a Estados da região extra-amazônica. No ano de 2018 a contribuição do Tocantins no resultado geral de casos na Amazônia Legal foi de 0,01%, esse resultado precisa ser superado para que o Tocantins saia da área endêmica da doença e consequentemente passe para área com transmissão residual”, disse.

A doença

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Toda pessoa pode contrair a malária. Indivíduos que tiveram vários episódios de malária podem atingir um estado de imunidade parcial, apresentando poucos ou mesmo nenhum sintoma no caso de uma nova infecção.

A malária não é uma doença contagiosa. Uma pessoa doente não é capaz de transmitir a doença diretamente a outra pessoa, é necessária a participação de um vetor, que no caso é a fêmea do mosquito Anopheles (mosquito prego), infectada por Plasmodium, um tipo de protozoário. Estes mosquitos são mais abundantes nos horários crepusculares, ao entardecer e ao amanhecer. Todavia, são encontrados picando durante todo o período noturno, porém em menor quantidade.

Post Anterior

Homem suspeito de assaltar açougue em Darcinópolis é morto pela PM após ameaçar militares com faca

Próximo Post

Justiça determina que a BRK Ambiental forneça água potável à população de Dianópolis

Sem comentários

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *