0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

⟳ Atualizada em: 26/02/2021 17:17

O deputado estadual Ricardo Ayres (PSB) apresentou na Assembleia Legislativa, na última terça-feira, 23, um requerimento solicitando a criação de uma Comissão Especial para debater a revisão territorial do Estado do Tocantins.

Segundo o parlamentar este é um assunto muito importante para o Estado e anseio de vários distritos que veem suas sedes administrativas mais distantes geograficamente do que outros municípios, além daqueles que almejam uma emancipação política e administrativa. Ayres reforçou que a comissão será um forma de obter estudos técnicos que irão embasar todas essa discussões.

A proposta de Ayres recebeu o apoio de todos os parlamentares presentes na sessão, sendo subscrita por eles. Segundo o parlamentar é preciso debater os limites geográficos de alguns municípios, que em função de algumas distorções, atendem com serviços públicos à população de um distrito e os recursos públicos são destinados a outros, além de toda uma questão logística dos moradores na solução de questões diversas. “Tem muito tempo que discutimos essas questões, mas precisamos aprofundar esse assunto tão importante. Cito como exemplo, dentre os vários casos, o distrito de Alto Lindo que pertence a Goiatins, mas fica a 135 quilômetros da cidade e do lado de Itacajá. O Grotão que pertence a Sítio Novo, porém pertinho de Axixá e na estrada para Augustinópolis”, destacou o deputado.

Emancipação

Ricardo Ayres também ressaltou que a comissão especial irá debater sobre os distritos que anseiam por uma emancipação política e administrativa. O parlamentar citou um simpósio realizado, na última segunda-feira, 23, no auditório da Assembleia Legislativa para tratar sobre a emancipação de Luzimagues, bem como a criação de novos municípios. “É uma questão importante, que necessita de um debate profundo que envolve Porto Nacional, o distrito de Luzimangues e toda a região. Existem outros distritos que também querer se emancipar e precisamos debater essas questões com muito zelo e responsabilidade”, disse o deputado.

Pela solicitação de Ayres a comissão especial será composta por 5 membros, indicados pelos blocos partidários da Casa, com duração de 120 dias. Estudos técnicos que embasarão os debates serão encomendados pela comissão. “O debate acerca de tais territórios precisa ser feito com embasamento, responsabilidade e, principalmente, de forma técnica para que possamos alcançar um consenso sobre necessidade ou não da redivisão do Estado, pautado nas necessidades das populações envolvidas”, concluiu Ricardo Ayres. 

Post Anterior

Deputado defende auxílio de 250 reais para tocantinenses

Próximo Post

Palmas registra maior índice de internações desde o início da pandemia